Brasil terá alta demanda de agulhas e seringas para possível vacina contra Covid-19

A potencial falta de insumos médicos para dar início rápido à vacinação contra a Covid-19 pode levar a uma verdadeira corrida pelo material nos próximos meses. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo), haverá a necessidade de, no mínimo, 300 milhões de seringas em um prazo de três ou quatro meses.

De acordo com a associação, neste prazo, o país consegue produzir cerca de 50 milhões de equipamentos médicos para vacinação. A solução é, portanto, importar ou contar com empresas que, com o maquinário adequado, possam produzir mais insumos.

Tão importante quanto a segurança dos equipamentos médicos, a qualidade das agulhas e seringas também garante a segurança do paciente. Existem duas normas que determinam os requisitos de desempenho e segurança das agulhas e seringas: a ISO 7864-1: 2016 e ISO 7886-1:2017, respectivamente. “Um dos principais ensaios realizados em seringas é a medição de volume da escala graduada, onde verificamos se as tolerâncias estão dentro dos limites da norma, e esse é um dos fatores, por exemplo, que garante a exatidão na dosagem do medicamento”, explica Ariane Tada, coordenadora técnica do Laboratório de Agulhas e Seringas na TÜV Rheinland, lembrando que, além das normas técnicas da ISO, existem as RDCs (Resoluções da Diretoria Colegiada) da ANVISA que são obrigatórias para a comercialização desses produtos para saúde e também as portarias do Inmetro que estabelecem as regras para certificação.

No Brasil, a TÜV Rheinland é líder de mercado em ensaios de agulhas e seringas e já está acreditada para atender às normas mais atuais exigidas pela Anvisa. A empresa mantém um laboratório de ensaios localizado em São Paulo, acreditado pela CGCRE/INMETRO. O laboratório realiza ensaio de aproximadamente 250 famílias de produtos por ano, comenta Ariane Tada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.