“Brincar é parte fundamental da terapia intensiva infantil”, diz fisioterapeuta

538

Fundado há quase cinco anos, o Centro Goiano de Reabilitação Neurofuncional (CGRN) inaugurou novo endereço para potencializar a Terapia Neuromotora Intensiva (TNMI) já oferecida na clínica. A mudança veio como a realização do sonho da Fisioterapeuta e diretora do CGRN, Silvana Vasconcelos. “O brincar é parte fundamental da terapia intensiva infantil. Nós acreditamos que toda criança merece reabilitação, mesmo que não tenha previsão de andar ou falar. A terapia é para dar qualidade de vida, tirar a dor e dar dignidade. Para nós, reabilitar crianças é muito mais que um tratamento, é ensinar esses pequenos a serem felizes e brincar faz parte disso”, diz Silvana.

Por isso, a nova sede tem espaços lúdicos e alegres que ajudam a melhorar a vida das crianças tanto nas horas em que estão em tratamento como nos outros sentidos. Localizada no Setor Marista, o novo CGRN conta com diversas salas amplas e equipadas com o que existe de mais moderno, como trilhos suspensos e balanços para estimulação vestibular, piscina de hidroterapia, sala de avaliação, sala para simular a rotina doméstica e sala de estudos e cursos.

“Criança é criança, e nós temos que incluir nas sessões de terapia o que elas mais gostam: brincar. Quando o ambiente é lúdico e prazeroso, acreditamos que as crianças se sentem mais motivadas a fazer o que precisamos que elas façam, e o melhor de tudo, brincando. Elas precisam querer estar conosco, precisam se sentir bem e alegres nos ambientes da clínica, o que irá implicar em maior interação e, como consequência, maior aprendizagem. Nossa estrutura foi pensada única e exclusivamente nelas. Quando se divertem, aprendem muito mais. Juntos sorrimos, brincamos e aprendemos”, explica Silvana.

Sala Snoezelen, novidade em Goiás

Mas o grande destaque da nova sede fica para a Sala Snoezelen. A expressão é uma junção das palavras holandesas SNUFFELEN e DOEZELEN que evocam o prazer de relaxar numa atmosfera calma e harmônica. O ambiente proporciona experiências multissensoriais de tato, olfato, audição e visão com estímulos feitos conforme a necessidade de cada criança.

Na sala escura, uma piscina de bolinhas, um tubo de bolhas e fios de fibra ótica podem apresentar cores diferentes em LED. Há também uma esfera de plasma (globo sensível ao toque) e uma grande tela interativa. Essa técnica beneficia muito as crianças autistas e com atrasos no neurodesenvolvimento.

Avaliações Padrão Ouro: chave para o sucesso do tratamento

Atualmente, são oferecidos aos pacientes diversos métodos de Terapia Neuromotora Intensiva (TNMI), como Protocolo PediaSuit, Cuevas Medek, Bobath e o Treini 7 Neuropediatrics, sendo esse último o mais moderno método de TNMI com uso de vestes. O método é baseado em evidências e se insere nos princípios da tensegridade e o CGRN realiza o tratamento pelo Método Treini 7 Neuropediatrics. Na clínica, todos os pacientes com lesões, paralisias, doenças raras e síndromes passam por avaliações detalhadas para dar início à reabilitação intensiva e personalizada.

Sendo essas avaliações um dos principais diferenciais da clínica, a equipe é capacitada nas Escalas Bayley III de Desenvolvimento do bebê e da criança pequena, considerada o Padrão Ouro de avaliação. “Ela possibilita a identificação de déficits no desenvolvimento de crianças entre 1 e 42 meses de idade. Em abril, nossa terapeuta foi capacitada em avaliação pelo Método de Prechtl, General Movements, que avalia a movimentação espontânea de recém-nascidos e lactentes até 5 meses de idade, com fortes propriedades psicométricas permitindo o diagnóstico precoce da Paralisia Cerebral”, finaliza Silvana Vasconcelos.