Centros de medicina diagnóstica de Santa Catarina passam a fazer parte do CURA Grupo

Desde o início de suas atividades, cada uma em sua região, com públicos bem definidos, a Sonitec Medicina Diagnóstica, localizada em Florianópolis, e a DMI Medicina Diagnóstica, em São José, são reconhecidas no estado de Santa Catarina por priorizarem a busca pela excelência e acreditarem que o seu papel vai muito além da entrega de resultados de exames e procedimentos. Além disso, ambas têm em comum o fato de fazerem parte do sexto maior grupo de medicina diagnóstica do país, o CURA grupo. São mais de 23  mil exames de imagem realizados, por mês, somando as três unidades.

O CURA grupo nasceu a partir da junção do CURA Medicina Diagnóstica, adquirido pela Vinci Partners — um dos principais fundos de Private Equity do Brasil —, com o Grupo Mérya, maior grupo de diagnóstico por imagem da região Sul do Brasil, do qual a Sonitec e a DMI faziam parte. Outras oito marcas compõem o conglomerado, que conta atualmente com mais de 1,6 mil colaboradores e 500 médicos no corpo clínico, atuando em 30 unidades e nos dois centros de processamento de análises clínicas, nos estados do Paraná, de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

A Sonitec tem 30 anos de mercado e duas unidades em Florianópolis. A matriz, atualmente dedicada ao atendimento a mulheres, conta com os selos do Colégio Brasileiro de Radiologia e Imagem (CBR) para excelência em Mamografia e da Associação Brasileira de Avaliação Óssea (ABRASSO) para Densitometria Óssea. Juntas, as unidades realizam cerca de 16 mil exames por mês entre ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, raio-x, mamografia e densitometria óssea.

Um dos maiores diferenciais está na grande capacidade instalada e na alta disponibilidade de exames. São três equipamentos de ressonância magnética, sendo um deles o 3 Tesla, um método de última geração que proporciona melhor diagnóstico e eficiência, além de possuir um maior conforto para a realização dos exames. O equipamento dispõe de um campo magnético com o dobro da intensidade dos convencionais, apresenta altíssima qualidade de imagem, permitindo a realização de exames mais rápidos e com mais detalhes anatômicos. Por sua qualidade diferenciada, atende muito bem a pacientes claustrofóbicos e obesos, pois conta com um túnel mais curto e amplo, com 70 cm de diâmetro.

De acordo com Ricardo Alexandre Casara, supervisor comercial, um dos objetivos tanto da matriz, como da filial, que atualmente é maior tanto em capacidade instalada, como em número de exames realizados, é prestar um atendimento humanizado e próximo. “No caso da nossa unidade direcionada a mulheres, temos um ambiente exclusivo para isso, personalizado, preparado para atender com conforto o público feminino. Já na filial, temos os atendimentos de alta complexidade. Para isso, incorporamos sistematicamente novas técnicas e novos métodos de imagem, além de contar sempre com um corpo clínico especializado. Investimos não só em tecnologia, mas também para ampliar e modernizar constantemente a estrutura física, priorizando o conforto dos pacientes”, ressalta.

Já a DMI, está localizada na parte continental, em São José, e atende a cerca de 70 cidades de todo o estado, com foco no sistema público de saúde. Fundada em 1999, é bastante reconhecida por sua excelência em diagnóstico por imagem e possui selos do Colégio Brasileiro de Radiologia e Imagem (CBR) para diversas modalidades de exames, resultando em maior segurança nos resultados e um diferencial para os serviços certificados. Por mês, são mais de 7 mil exames, entre ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, raio-x, mamografia, densitometria óssea e ecoddopler transtorácico.

Um dos diferenciais conquistados, em especial por conta da aquisição pelo CURA grupo, foi o emprego de tecnologias que ajudam não só a aprimorar o diagnóstico, como a experiência do paciente durante o atendimento, as unidades utilizam um assistente virtual, que faz confirmações,  passa instruções do preparo, transfere agenda e envia o laudo quando o exame está pronto. A interação ocorre de diferentes formas (SMS, e-mail, WhatsApp e telefone) e pode ser configurada conforme o perfil do cliente até mesmo com as necessidades. Na DMI, também disponível um toten para o primeiro atendimento, que permite a inclusão de todos os dados. Esse recurso traz ainda mais humanização para o processo, pois possibilita aos atendentes chamar os pacientes pelo nome e não pela senha.

Já no suporte ao médico e ao diagnóstico, além  IARA, solução de reconhecimento de voz, que utiliza inteligência artificial para converter áudio em laudo, minimizando as chances de erros, economizando tempo e melhorando a experiência do médico radiologista; conta com mão de obra qualificada e disponível 24 horas por dia, por meio da Medvia, braço  de telemedicina do grupo. “Esse recurso soluciona esse problema de disponibilidade de especialistas e traz para os exames realizados tanto dentro da ilha, como no continente mais segurança e conveniência para os pacientes, com diagnósticos mais rápidos e assertivos”, ressalta Casara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.