Cirurgião plástico denuncia negligência no caso da travesti Luiza Marilac

O Brasil tem 4 milhões de pessoas trans e os descasos médicos sofridos com brasileiros matam mais que câncer, aponta um estudo da Unesp. O cirurgião plástico Thiago Marra afirma que os dados mostram a urgência de políticas de saúde voltadas para esse público, ao repercutir o fato ocorrido com a youtuber Luiza Marilac, nesse sábado (12). A travesti afirmou ter sofrido transfobia dentro da unidade hospitalar do Santa Rita, ao ser tratada no masculino e ter a internação para drenagem de um seroma proibida durante 12 horas de espera.

Erros, negligência ou baixa qualidade do serviço podem ser uma das principais causas de morte dos brasileiros. A cada três minutos, cerca de dois brasileiros morrem em um hospital por consequência de uma negligência médica que poderia ser evitada. Essas falhas acarretaram em 434 mil óbitos, o equivalente a 1 mil mortes por dia, à frente de doenças cardiovasculares e câncer, que em 2021 mataram 339.672 e 196.954 respectivamente.

Fatos como estes são recorrentes. A youtuber Luiza Marilac revelou em suas redes sociais neste fim de semana ter sido vítima de transfobia na manhã de sábado (12), após tentar dar entrada em um hospital particular na Vila Mariana em São Paulo. Depois de trocar suas próteses de silicone, há uma semana ela vinha sentindo inchaço e edema da mama direita por conta de um seroma, que é o acúmulo de líquido abaixo da pele, próximo à cicatriz cirúrgica. Além disso, passou a ter febre e diarréia, provocada pelo excesso de remédios para dores que passou a tomar.

Orientada por seu cirurgião plástico, Thiago Marra, ela foi até o Hospital Santa Rita, para realizar os procedimentos cirúrgicos necessários. “Na recepção já fui tratada com descaso e sendo referida pelo pronome errado, chamada de senhor. Expliquei que devo ser referida com ela, pois sou mulher. Eles não quiseram dar entrada nos documentos para minha internação e não apresentaram nenhuma justificativa. Na mesma hora acionei meu médico e a policia”, explica.

Para Marra, o fato ocorrido mostra a urgência de políticas de saúde voltadas para esse público. Nas redes sociais, o cirurgião explicou o que aconteceu. “Após 10 dias de pós-operatório, a paciente Luiza Marilac entrou em contato comigo relatando o acúmulo do liquido de Seroma. Direcionei a paciente para o Pronto Atendimento do Hospital Santa Rita da Vila Mariana, onde sou cadastrado no corpo clínico. Embora esse hospital tenha colocado em seu site, www.hospitalsantamaria.com.br, como uma referência em serviço de Pronto Atendimento 24 horas para clínica médica, motivo pelo qual solicitei a internação para que eu pudesse realizar o procedimento necessário, tivemos varias negativas da direção da unidade hospitalar sem justificativas. Somente após a repercussão nas mídias sociais o hospital liberou o centro cirúrgico para drenagem da mama sob anestesia local”, explica o cirurgião.

Segundo Marra, a influencer está em recuperação no momento e agradece aos seguidores dela por terem se sensibilizado com a causa nas redes sociais. No entanto, adianta que serão tomadas medidas jurídicas sobre o ocorrido, e denunciou no Conselho Regional de Medicina a postura do Hospital Santa Rita, ao vetar o atendimento e a internação da paciente, e por mantê-la em espera por 12 horas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.