Com expansão no Rio de Janeiro e Brasília, Hospital Placi prevê triplicar de tamanho até início de 2023

O Placi – hospital pioneiro em transição e cuidados extensivos no Brasil – anuncia a inauguração da expansão da unidade Botafogo, que eleva atual a operação da rede para 127 leitos, sendo 37 em Niterói (RJ) e 90 em Botafogo (RJ). Com foco nos pacientes que necessitam de um tempo maior de recuperação – aqueles que já saíram de um hospital tradicional, mas ainda não têm autonomia e mobilidade para terem alta – o Placi se caracteriza por um tratamento completo de reabilitação e cuidados especiais com modernas salas de fisioterapia, solarium com pista sensorial e estrutura para tratamentos com terapia ocupacional, musicoterapia, fonoaudiologia, entre outras especialidades. Para essa primeira fase da expansão, a rede PLaci contou com aporte de R$ 30 milhões da gestora Blue Like an Orange. 

Além da expansão da unidade Botafogo, todos os investimentos captados pelo Placi viabilizarão o projeto e a montagem das próximas unidades: Barra da Tijuca (RJ), Brasília Lago Sul (DF) e Águas Claras (DF). As duas primeiras estão em construção e serão inauguradas até o início de 2023 e a outra está em fase de aprovação de projeto, aumentando o número de leitos para 360, crescendo o potencial de internação para 1.800 pacientes por ano e triplicando o tamanho da rede.

“Nosso plano de expansão também conta com investidores imobiliários que constroem e/ou reformam os imóveis que ocupamos ou iremos ocupar”, diz Carlos Alberto Chiesa, Diretor Presidente do Hospital Placi, sobre outros investimentos recebidos pela rede.

O Placi Cuidados Extensivos já nasceu pensando em crescer, tese defendida pela Gestora de Recursos Finhealth, acionista controladora da rede. “Até o momento estamos conseguindo implementar a estratégia de expansão iniciada em 2020 que é estruturar uma rede com pelo menos cinco unidades e 360 leitos. Neste meio tempo, continuamos olhando novas oportunidades e buscando novos aportes que permitam um crescimento ainda maior”, pondera Carlos Alberto Chiesa.

Modelo Assistencial do Hospital

O Hospital Placi tem como papel cuidar dos pacientes durante uma etapa intermediária entre o hospital de cuidados agudos e o cuidado em domicílio. Possui três frentes: a reabilitação, com foco em recuperar pacientes que podem ter um retorno à sua rotina com independência; a readequação, voltada para pacientes que precisam se adaptar a uma nova condição de saúde, e tratamentos para reinserção social e cuidados paliativos, para pacientes terminais, em que são acolhidos e têm diversos sintomas melhorados, reduzindo o sofrimento e tornando a qualidade de vida a melhor possível dentro de suas condições.

Nos 9 anos de trabalho – de 2013 a 2022 –, o Hospital Placi internou aproximadamente 2.100 pacientes nas unidades Botafogo e Niterói. Atualmente, 83% dos pacientes são idosos acima de 65 anos, com 52% do total acima de 80 anos. Além disso, 20% dos pacientes estão em programa de reabilitação, 50% estão em programa de recuperação ou readaptação a uma nova condição de saúde e 30% estão em programa de cuidados paliativos.  

“Estamos atentos à transição demográfica que vem acontecendo em nosso país. Por isso, o Placi surgiu para se diferenciar no cuidado a este perfil de paciente, que tende a crescer exponencialmente no Brasil”, comenta Chiesa.

A equipe multidisciplinar do Placi é formada por diversos profissionais da área de saúde, como médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicólogos, capelão e assistentes sociais. Independentemente da complexidade de doenças e sequelas – que vão desde AVC, pós-operatório de cirurgias ortopédicas e doenças neurológicas crônicas até doenças respiratórias com ou sem dependência de aparelhos que ajudam na respiração – as equipes estão preparadas para receber e restabelecer as capacidades físicas, mentais e emocionais de cada paciente.     

Hoje, a rede opera com 330 colaboradores diretos e possui plano de contratação robusto para os próximos anos conforme desenvolvimento da expansão. As novas vagas já começaram a ser preenchidas com o crescimento da unidade Botafogo.  

“Com o plano de expansão do Placi, buscamos investir cada vez mais em tecnologias para realizar nossos processos seletivos de forma mais rápida e eficiente”, afirma Clici Teixeira, Gerente de Recursos Humanos do Hospital Placi.

Relação do Placi com a pandemia da Covid-19

Durante a fase crítica da pandemia, as internações de pacientes previamente saudáveis em recuperação de Covid representaram um terço das admissões da rede. Atualmente, os casos equivalem a cerca de 10% das internações e a maioria dos pacientes possui doenças crônicas em estágio avançado, que descompensaram seu quadro após a Covid-19. 

“As unidades de transição no sistema de saúde do Brasil ainda são pouco conhecidas. Mas a pandemia trouxe uma clareza sobre a importância desse segmento. O Placi é pioneiro nessa categoria de hospital que se tornou mais necessária do que nunca. Nosso trabalho visa a recuperação e reabilitação dos pacientes, permitindo uma alta hospitalar mais precoce”, explica Chiesa. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.