Com internações por Covid-19 em queda, Hospital São Camilo destaca importância de retomar cuidados

Desde o início da pandemia de Covid-19 no Brasil, em março de 2020, todos os esforços das instituições de saúde foram concentrados para conter a propagação do vírus e reduzir a disseminação da doença. No entanto, o avanço no número de internações, ao longo deste período, refletiu em queda na procura por atendimento a outras doenças graves e comorbidades que acometem a população em geral.

Seguindo as determinações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), as instituições públicas e privadas implementaram diversas medidas para garantir a segurança de todos os pacientes, para que não deixem de realizar os acompanhamentos necessários que tanto impactam a qualidade de vida, sobretudo neste momento em que as internações por Covid-19 estão em queda.

Na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o número de internações caiu pela metade nos últimos 30 dias, de 60% em 23 de junho para 29% em 23 de julho. “É fundamental, neste momento, que as pessoas retomem seus tratamentos e voltem a realizar os exames preventivos, sobretudo pacientes cardíacos, oncológicos e portadores de outras doenças graves”, afirma a Dra. Aline Thomaz, CEO da Rede.

De acordo com dados de um estudo realizado pelo Instituto Oncoguia e Roche Farma Brasil, a partir de levantamento feito pelo Datasus (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde), exames citopatológicos e mamografias caíram pela metade na rede pública de saúde do país. Já as biópsias sofreram queda de 39,11% entre março e dezembro do ano passado.

Na área da Cardiologia da Rede São Camilo SP, entre fevereiro de 2020 e 2021, a procura pela realização de consultas na especialidade apresentou uma queda de 12%. “Os números preocupam. Eles indicam que uma importante parcela da população deixou de diagnosticar possíveis doenças, atrasando, assim, o início dos tratamentos”, alerta a Dra. Aline.

Fluxo seguro

Pensando nisso, a Rede São Camilo fez rigorosas adaptações, com atenção especial à segurança do paciente, para a retomada de exames, consultas e cirurgias, conforme orientações das autoridades da saúde e validadas pelos setores de SCIH (Serviço de Controle de Infecção Hospitalar) e de Qualidade dos hospitais da Rede.

“Colocamos em prática uma série de ações com o objetivo de incentivar a retomada dos cuidados à saúde, garantindo assistência às demais comorbidades que afetam a vida dos pacientes, sobretudo daqueles que dependem de uma melhora para ter mais qualidade de vida”, reitera a CEO da Rede.

Dra. Aline esclarece que, antes de entrar no prédio, todos os pacientes são triados no intuito de identificar sintomas ou histórico suspeito, com direcionamento ao serviço de urgência, se necessário. Além disso, as consultas do Centro Médico são realizadas a cada 30 minutos. Ao entrarem no hospital, os pacientes recebem máscaras descartáveis e são orientados, através de sinalizações, a manter distanciamento social nas áreas de espera e elevadores.

Cirurgias

Para os casos cirúrgicos, a diretora médica executiva da Rede São Camilo de SP, Dra. Érica Rabello, ressalta que a decisão seguirá, em cada caso, o alinhamento entre o médico e o paciente, priorizando a saúde e segurança em todas as etapas do processo.

Faz parte das medidas de segurança a realização do teste para Covid-19 antes de qualquer cirurgia. Segundo informa a diretora, os pacientes realizam a coleta de PCR-Covid 72 horas antes do procedimento.

“Esses pacientes entram no fluxo prioritário em relação à coleta do exame, tendo seu laudo liberado até 24 horas, período em que ele aguardará em casa, sendo acompanhado via telemedicina”, esclarece.

Ela explica que, caso o paciente teste positivo para Covid-19, a cirurgia não será realizada. “Em caso de resultado negativo, a cirurgia estará liberada e seguirá os fluxos de segurança previamente estipulados”, detalha a Dra. Érica.

A Rede disponibiliza aos pacientes quartos para internação exclusiva, mesmo que o plano de saúde dê direito apenas à enfermaria, aumentando, assim, a segurança de todos que precisam estar no local durante o período do procedimento.

Além de elevadores específicos, o centro cirúrgico foi adaptado com barreiras a fim de evitar o cruzamento de fluxo entre pacientes. “Caso o paciente necessite, foram designadas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) apartadas daqueles que estão internados com Covid-19”, complementa a médica.

Vale frisar que, durante o processo cirúrgico, o acompanhante receberá informações sobre o status do paciente por meio do ramal telefônico do quarto.

Todas essas medidas são seguidas rigorosamente para garantir que os pacientes recebam o atendimento que necessitam em segurança. Por isso, são também realizadas todas as boas práticas de higiene orientadas pelo SCIH entre as consultas, em todos os ambientes, objetos e equipamentos do hospital e após a saída dos pacientes dos consultórios, leitos e salas cirúrgicas.

“Nós entendemos que a retomada deve ser cuidadosa e responsável para que possamos continuar atuando em prol da saúde de todos, sem deixar de assistir àqueles que mais necessitam neste momento delicado”, finaliza a Dra. Aline.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.