Como aumentar a produtividade no laboratório com a metodologia Lean

47

A Shift, especializada em Tecnologia da Informação (TI) para medicina diagnóstica, acaba de lançar um e-book sobre como aumentar a produtividade no laboratório com a metodologia Lean. Essa metodologia foi desenvolvida dentro dos sistemas produtivos da Toyota e se expandiu para diversas áreas, incluindo a prestação de serviços em medicina diagnóstica. É um método e uma filosofia de gestão que se baseia em reduzir desperdícios e remover atividades que não agregam valor ao produto. Dessa forma, com baixo investimento, é possível criar um fluxo de processos.

Baseado na proposta de melhoria contínua e na valorização das pessoas, sua integração com soluções tecnológicas da Shift permite melhorar a eficiência operacional do laboratório de medicina diagnóstica, simplificando e padronizando processos, reduzindo filas de espera, melhorando a qualidade global dos serviços e entregando resultados com mais rapidez e segurança. O resultado é um cliente satisfeito e uma diferenciação estratégica perante os concorrentes. O e-book pode ser acessado no link bit.ly/32j9HBA

“Os sistemas da Shift têm o Lean no seu DNA, pois nosso objetivo é a busca constante de excelência operacional e melhoria contínua para atender ás necessidades dos nossos clientes”, destaca Javier Rojas, coordenador de excelência operacional da Shift.

Com o apoio de tecnologias bem estruturadas e de profissionais especializados na área, o fluxo de processos é modelado em direção à eliminação de práticas que não agregam valor e de potencialização das ações que melhoram a qualidade final.

O método funciona embasado em três princípios que podem ser trabalhados em conjunto com ferramentas de gestão e funcionam com bastante eficiência com apoio da tecnologia. Os princípios são:

– Valor para o cliente: atender a demanda do paciente, gerando valor de acordo com o que o ele precisa;

– Fluxo de valor: promover valor em todas as etapas do fluxo de trabalho, onde cada atividade e componente dos processos deve ser potencializado, desde os procedimentos operacionais às ações estratégicas, agregando agregar valor ao resultado;

– Fluxo contínuo: identifica as interrupções frequentes do fluxo de trabalho geram desperdício de tempo produtivo, sendo essencial empreender esforços para diminuir esse tempo ao máximo, minimizando perdas e agiliza processos;

– Produção puxada: modelo de trabalho no qual as operações são iniciadas de acordo com a demanda, evitando a produção de excessos nos quais não há certeza sobre o uso.

– Qualidade: a utilização do mínimo de recursos e práticas deve fornecer um serviço de elevada performance. A qualidade não pode ser prejudicada pelo enxugamento das ações.

Dessa forma, a proposta é integrar os procedimentos, formando uma rede estruturada e sólida, em um ambiente de envolvimento e cooperação entre os colaboradores. A metodologia traz agilidade nos procedimentos laboratoriais, mitigando processos ao reduzir problemas. Isso contribui para a redução de custos operacionais e o aumento da produtividade dos profissionais, com ganhos em performance. Além disso, há a elevação da satisfação de clientes. A diminuição de gargalos e erros nas etapas de prestação de serviços do laboratório geram um atendimento mais ágil, funcional e eficaz para o cliente final.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

18 − dezessete =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.