Covid-19 tem forte queda na enfermagem

Levantamento do Cofen (Conselho Federal da Enfermagem) revela que até o último domingo (25) o número de afastamentos dos profissionais da enfermagem por Covid-19 no período de trinta dias teve uma expressiva queda quando comparado ao mesmo período do ano passado.  O relatório mostra que no início da pandemia em 30 dias os afastamentos nos centros de saúde por Covid-19 passaram de 2531 profissionais atingidos para 13389, ou seja, um aumento de 429%. No último mês, as contaminações ficaram abaixo de 10%, quando passaram de 50.597 para 54.040 casos.

Óbitos

O comparativo do número de mortes nos dois períodos também mostra redução. Foram 80 casos neste mês, 20% menor que em abril do ano passado quando aconteceram 96 óbitos, embora o pico de mortes/dia dos profissionais de enfermagem tenha sido alcançado em 6 de março quando atingiu 46 profissionais. No balanço da pandemia, o Brasil ainda é apontado como líder mundial em mortes.

São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro concentram o maior número de profissionais da enfermagem contaminados por Covid-19. Já o número de mortes é liderado por São Paulo, Amazonas e Rio de Janeiro respectivamente.

Vacina e óculos de proteção

Para o oftalmologista Leoncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier o levantamento do Cofen torna claro o benefício da vacina para quem ainda duvida da eficácia da imunização. Isso porque, comenta, 81% das doses de vacina destinadas aos profissionais da saúde já foram garantidas. Não fosse isso, a explosão de casos de Covid-19 nos últimos meses, somada à mutação do Coronavírus tornaria a administração da saúde pública insustentável, pondera.

O oftalmologista ressalta que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a utilização de óculos de proteção ou EPI (Equipamento de Proteção Individual) por profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia. Isso porque, explica, os olhos estão interligados ao nariz pelo ducto lacrimal e por isso podem funcionar como a porta de entrada da Covid-19. Quando surgiram os primeiros casos da infecção no Brasil, comenta, muitos hospitais denunciavam a falta de EPIs para proteger a saúde dos profissionais. Por isso, com o patrocínio da Fundação Abióptica, Essilor Brasil e Allprot Queiroz Neto criou a campanha Solidariedade na qual distribuiu 12 mil EPIs para hospitais de todo o país. em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Campinas e Região (Sinsaude) e a Federação Paulista da Saúde.

Controle da imunidade

Está provado que a mulher tem o sistema imunológico mais robusto que o do homem e esta é uma das razões pela qual vive mais. Queiroz Neto afirma que idosos têm maior risco de contrair a Covid-19 porque a imunidade enfraquece conforme envelhecemos. “De um modo geral a mulher tem menor propensão às infecções por vírus e bactérias, mas também ficam mais expostas às alergias e doenças autoimunes quando o organismo dá resposta exagerada aos estímulos externos”. As dicas do oftalmologista para controlar a imunidade durante a pandemia são:

  • Pratique exercícios regularmente. Além de manter a imunidade sob controle diminui a produção de radicais livres que antecipam a catarata;
  • Coloque frutas cítricas e outras fonte de vitamina C no seu prato. Isso aumenta os glóbulos brancos, essenciais para afastar o risco de infecções;
  • Caminhe ao sol para ter absorção de vitamina D que também estimula a produção de dopamina, hormônio do bem-estar;
  • Durma de 6 a 8 horas/dia. O sono é essencial para o sistema imunológico e para a visão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.