DEKRA investe em programa de migração de enfermeiros para trabalho na Alemanha

1264

Menos crianças nascendo na Alemanha, mais idosos. Este cenário levou, no último dia 31 de julho, cerca de 400 enfermeiros ao Teatro da FIAP, em São Paulo (SP), na busca de uma oportunidade de atuação no país europeu. O evento contou com palestras nos períodos matutino e noturno, onde os convidados puderam conhecer mais sobre o Expert Migration Program (Programa de Migração de Especialistas em português) da DEKRA – empresa alemã com atuação no Brasil.

Na Alemanha, há uma considerável falta de enfermeiros, e a demanda não pode mais ser atendida com a mão de obra local. Em 2010, o gabinete alemão de estatísticas, Destatis, apontou que o país era líder entre os europeus com a população mais envelhecida. No mesmo ano, o Destatis revelou que apenas 13,5% da população tinha menos de 15 anos. Tal estatística resulta em um impacto significativo na força de trabalho e alerta que este problema será acentuado no futuro.

Visando garantir o bem-estar da população alemã, medidas vêm sendo tomadas para que os cidadãos tenham acesso à saúde de qualidade e profissionais bem preparados para seu atendimento. Com uma visão de prosperidade e incentivo ao desenvolvimento humano, a DEKRA, alinhada ao governo alemão, investiu em um grandioso projeto de suporte à sociedade preparando enfermeiros graduados e dispostos a trabalhar no país, por, no mínimo, dois anos. Diante do panorama de mais de 500 mil enfermeiros graduados, alguns deles entre os 12,8 milhões de brasileiros desempregados, o diretor de Recursos Humanos da DEKRA, Eduardo Cupaiolo, comenta a colaboração positiva para os dois países: “É uma contribuição significativa para o Brasil sobre a questão do desemprego, e, por outro lado, atende também a uma demanda crescente de profissionais da área de enfermagem na Alemanha”.

Devido ao potencial de mercado e à atuação da empresa no Brasil, o país sul-americano é o primeiro da região a ser escolhido para a ação. O diretor do EMP na Alemanha, Colin Steadman, apontou como o Programa pode dar retorno à sociedade e aos demais envolvidos. “No Brasil, há profissionais que não encontram emprego na área, então é uma chance de se aperfeiçoarem e adquirirem experiência. Se decidirem voltar para casa, também terão a oportunidade de utilizar a expertise e a vivência internacional para melhorar os sistemas de saúde daqui”.

A enfermeira e professora de pós-graduação, Teresa Cristina Schmidt, caracteriza o evento como esclarecedor. Neta de alemães, ao falar sobre o país europeu comenta as belezas, mas não esquece a herança histórica: “A Alemanha é um país de recomeço, e esse programa poderia se traduzir nessa palavra: um grande e novo começo para enfermeiros do Brasil, pois o jovem tem que continuar sonhando e ver que pode fazer algo diferente, mesmo em um país que não seja o dele”, afirma.

A DEKRA oferece suporte completo aos profissionais que ingressam no Programa, desde o treinamento do idioma até aspectos legais. O processo visa identificar os profissionais qualificados e os prepara para atuar naquele país. Além da oportunidade de trabalhar no exterior em mais de 90 conceituadas instituições de saúde, o Programa garante segurança e qualidade na migração destes profissionais para a Alemanha, oferecendo todo o suporte necessário e uma verdadeira transformação na vida profissional e pessoal dos participantes.

Deixe seu comentário