Doenças, hospitais e Misericórdias são temas de ciclo de palestras na Santa Casa de Porto Alegre

O Centro Histórico-Cultural Santa Casa de Porto Alegre (RS), dá início nesta quarta-feira (6) ao módulo internacional do ciclo de palestras ‘Doenças, Hospitais e Misericórdias’, promovido em parceria com a Universidade do Minho, de Braga/Portugal. Ao todo, serão quatro encontros virtuais durante o mês de julho, transmitidos no canal do CHC no YouTube, sempre às quartas-feiras, das 14h30 às 16h.

Como explica a historiadora do CHC, Véra Lucia Maciel Barroso, o objetivo do projeto é aprofundar os conhecimentos sobre o tripé de temas que intitula o ciclo a partir de uma abordagem que permeia a história nas duas margens do Atlântico. “Desde o começo da Idade Moderna, quando se fundou a primeira Misericórdia em Lisboa, no ano de 1498, que os serviços de saúde em Portugal e nos territórios sob o seu domínio – no caso, o Brasil – passaram a concentrar-se nestas confrarias, e assim se mantiveram durante muitos séculos. Construindo hospitais ou anexando os existentes, as Misericórdias investiram muito neste setor, principalmente a partir do século XVIII, acumulando experiências no que toca a doenças, hospitais e tratamentos”, conta.

A cada palestra, com as contribuições dos convidados, a ideia é mostrar as principais especificidades da história, desde o começo da Idade Moderna até a atualidade, destacando a trajetória e a ampliação dos espaços de acolhimento de doentes, as políticas de combate às doenças, bem como os avanço das ciências médicas, dos meios de diagnóstico e do arsenal terapêutico, tanto em Portugal como no Brasil.

A programação completa com os temas e palestrantes de cada encontro estão disponíveis em www.chcsantacasa.org.br.

Primeiro encontro

No primeiro encontro, nesta quarta-feira, duas palestras integram a programação. A primeira delas, com o tema “Hospitais, doenças e doentes no Portugal da Idade Moderna”, será conduzida pela professora Maria Marta Lobo de Araújo, do departamento de História da Universidade do Minho, sobre o tratamento utilizado nos hospitais das misericórdias portuguesas dos séculos XVII e XVIII em algumas doenças, como a bouba, doença bastante contagiosa e sem cura na época.

Na sequência, o cirurgião José de Jesus Peixoto Camargo, diretor médico do Hospital Dom Vicente Scherer, conta sobre a “Experiência brasileira com transplante de pulmão”, abordando desde os primeiros passos, em maio de 1989, até os dias atuais, com os recentes avanços e os futuros desafios.

Para acompanhar, acesse youtube.com/CHCSantaCasa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.