Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime no Brasil e Instituto Ética Saúde fortalecem parceria pró-ética e integridade

O Instituto Ética Saúde e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) reuniram-se, no dia 30 de junho, para discutir a parceria no âmbito do projeto global do UNODC ‘Resposta e Recuperação Anticorrupção à COVID-19’, implementado com apoio do Bureau of International Law Enforcement and Narcotics (INL/USA). O objetivo do Projeto é auxiliar nove países (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Indonésia, Paraguai, Filipinas, África do Sul e Timor-Leste) na recuperação da Covid-19 por meio da promoção de integridade em compras públicas e do desenvolvimento e fortalecimento dos mecanismos de proteção a denunciantes (whistleblower).

A parceria prevê o apoio e a participação do IES nos diálogos temáticos a serem realizados pelo UNODC Brasil no segundo semestre de 2021 no âmbito do Projeto; a participação do UNODC Brasil no evento internacional do IES, em agosto de 2021 – 1st Americas Health Ethics Virtual Forum; o apoio do IES no desenvolvimento de um piloto de whistleblower em uma instituição de saúde no Brasil, a ser desenvolvido pela consultora internacional, parceira do UNODC Viena, Sheryl Goodman; e o apoio do IES nos trabalhos que serão produzidos e lançados pelo UNODC Brasil no âmbito do Projeto.

“A representatividade e o profissionalismo do Instituto Ética Saúde serão fundamentais para o fortalecimento da agenda de integridade e de enfrentamento da corrupção no setor de saúde”, afirma o supervisor do Projeto no país e especialista em compliance do UNODC Brasil, Eduardo Pazinato.

A oficial do Projeto no UNODC Brasil, Chantal Castro, reforça que “a parceria deve fomentar um setor de saúde mais ético e transparente, algo especialmente necessário em tempos de pandemia”.

Para o executivo de Relações Institucionais do Instituto, Carlos Eduardo Gouvea, “a oportunidade de estabelecer laços mais profundos com o UNODC permitirá ao IES contar com apoio e experiências internacionais no combate à corrupção na área da saúde, acelerando boa parte das ações que estão em seu Plano Estratégico. Além disto, poderemos ampliar a visibilidade dos resultados que temos alcançado, servindo de benchmark para outros países e assim criando um movimento positivo com impacto global”.

Participaram da reunião, por parte do UNODC Brasil, a oficial nacional de Projetos, Chantal Castro; e o especialista em Segurança, Justiça e Compliance, Eduardo Pazinato; e, do UNODC Viena, a oficial associada de Prevenção ao Crime e Justiça Criminal, Kari Ann Rotkin. Pelo Instituto Ética Saúde, estavam o presidente do Conselho de Administração, Eduardo Winston; a vice presidente do Conselho de Administração, Patrícia Braile; os integrantes do Conselho de Administração, Marcos Machado e Gláucio Libório; o executivo de Relações Institucionais, Carlos Eduardo Gouvea; a secretária executiva, Cibele Martins; o assessor de compliance, Marlon Franco; o membro do Conselho de Ética, Paulo Silva; e o advogado, Leonardo Campos; além da cofundadora do Procurement Integrity Consulting Services (EUA), parceiros do UNODC Viena, Sheryl Goodman.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.