HCor e Farmacore firmam parceria para condução de estudo clínico de vacina contra Covid-19

O HCor, hospital multiespecialista de São Paulo, e a Farmacore, startup de biotecnologia, firmaram parceria para condução dos estudos clínicos da vacina Versamune MCTI, imunizante desenvolvido para combater a Covid-19. A pesquisa da vacina está sendo financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, através da Rede Virus MCTI.

O estudo passará por aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e da ANVISA antes de ser iniciado. A expectativa é que as autorizações estejam formalizadas na primeira quinzena de junho.

Assim que aprovado, serão realizadas concomitantemente fase I (segurança) e fase II (avaliação de imunogenicidade), sob coordenação do Instituto de Pesquisa do HCor (IP-HCor), incluindo 360 voluntários brasileiros. O início dos testes está previsto para o mês de junho, com apresentação de resultados em outubro de 2021. A fase III será conduzida em um estudo subsequente, ainda sem data e estrutura definidas.

A Versamune MCTI é feita a partir de uma proteína viral recombinante, a subunidade S1 da proteína S (Spike) do SARS-CoV-2 somada a um sistema carreador/adjuvante, que funciona como um veículo para carregar a proteína recombinante pelo corpo e impulsionar a ação dos linfócitos T. Vacinas como essa são consideradas de segunda geração, já que utilizam tecnologias mais recentes do que as de primeira – as do tipo vírus inativado.

“A vacina terá como ação diferencial essa estimulação da resposta do sistema imunológico através das células T. O objetivo é que a resposta imunológica seja capaz de criar uma memória contra contatos futuros com o Sars-CoV-2, ensinando o organismo a combater a infecção”, esclarece Helena Faccioli Lopes, CEO da Farmacore. Ou seja, além de impedir a entrada do Coronavírus nas células, o imunizante deve ‘matar’ as já infectadas.

A vacina foi desenvolvida por um consórcio formado pela Farmacore, Universidade de São Paulo (Campus de Ribeirão Preto) e uma empresa norte-americana chamada PDS Biotechnology, esta última conhecida por seu trabalho crescente de imunoterapias em estágio clínico contra o câncer e vacinas de doenças infecciosas.

Estudo

Com previsão de início para junho de 2021, os testes de fase I e II contarão com a inclusão de 360 voluntários. Poderão participar da pesquisa pessoas acima de 18 anos, que ainda não tenham sido imunizadas com outras vacinas para SARS-CoV-2 (Coronavac, Astra Zeneca e Pfizer) e que não tenham tido Covid-19. Não serão incluídos pacientes que tenham doenças crônicas que estejam descompensadas (ou seja, que tenham precisado de atendimento hospitalar recente).

O imunizante será aplicado em duas doses, com intervalo de 28 dias entre elas. A avaliação clínica e a aplicação das vacinas acontecerão no HCor. A realização de exames para avaliar a resposta imune celular da vacina será realizada pelo laboratório LIM 56 da Faculdade de Medicina da USP.

“Trata-se de um ensaio clínico randomizado controlado por placebo. Dessa forma, por meio de sorteio, 240 participantes serão direcionados a receber a vacina e 120 receberão o placebo”, explica Alexandre Biasi, diretor do Instituto de Pesquisa do HCor e responsável por outros estudos que avaliam a eficácia e a segurança de potenciais terapias para pacientes com Covid-19 – realizados pela Coalizão Covid-19 Brasil, da qual o HCor faz parte com outros hospitais, rede e instituto de pesquisas brasileiros.

O pré-cadastro para os candidatos interessados em participar da pesquisa da Versamune MCTI está aberto no site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.