Hospital baiano firma parceria com instituto norteamericano referência em câncer infantojuvenil

229

O Hospital Martagão Gesteira, de Salvador (BA), firmou uma parceria com o St. Jude Children’s Research Hospital, o mais conceituado centro de tratamento e pesquisa pediátrica norteamericano, focado em doenças graves infantis, sobretudo leucemia e outros tipos de câncer. Dentre as ações previstas, há um projeto para implementar uma escala para reconhecimento de casos graves de câncer infantojuvenil, com o objetivo de reduzir a mortalidade desses pacientes.

Com este intuito, realizou uma primeira capacitação dos profissionais do Martagão, nesta sexta-feira (22) e no sábado (23), Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil. Este projeto especifico de capacitação já alcançou 40 hospitais da América Latina e o Martagão é o primeiro e único hospital brasileiro a participar dele. A ação foi uma das muitas previstas para a parceria.

Neste primeiro encontro, três profissionais enviados pelo St. Jude capacitaram médicos do hospital, visando a melhoria do atendimento dos pacientes internados, com base na “Escala de Sinais de Alerta Precoce (ESAP)” em pediatria. “Essa escala tem como objetivo identificar precocemente sinais de alerta de gravidade, para que providências sejam adotadas o mais cedo possível e, desta forma, nós possamos reduzir a mortalidade de crianças com câncer”, ressalta a coordenadora do Setor de Oncologia do Martagão, Luciana Nunes.

“É um projeto fundamental para a nossa unidade, com o intuito de melhorar a assistência a crianças com câncer. Estamos muito envolvidos para que essa parceria seja executada da melhor forma e traga muitos benefícios para o tratamento dos nossos pacientes. A ideia é que possamos, também, estender esse projeto para todo o hospital”, acrescentou a oncologista pediátrica.

Está previsto, ainda, uma segunda capacitação de profissionais do Martagão fora do Brasilala. “A primeira capacitação ocorre neste final de semana na nossa instituição filantrópica. A segunda será realizada na Guatemala. Um oncologista e uma enfermeira do Martagão serão treinados no primeiro hospital que implementou esse projeto”, conta a oncopediatra Juliana Costa.

A diretora médica do Martagão, Milena Pessoa, destaca a importância dessa parceria para a instituição filantrópica que atende, por ano, mais de 80 mil crianças vindas de todo o estado com diferentes patologias. “A parceria com o St. Jude é muito relevante para a nossa instituição, pois eleva o nosso Setor de Oncologia ao cenário internacional, além de melhorar a qualidade do nosso serviço junto a tutoria deles. É um projeto que possibilita estreitar a nossa relação para que outras iniciativas surjam”, afirma.

Além da parceria, o Martagão amplia ainda mais o tratamento de câncer. Até o início do próximo ano, o primeiro caso na Bahia de transplante de medula óssea em crianças e jovens na faixa etária de 0 a 14 anos pela rede pública será realizado pelo Martagão. A unidade de saúde está no processo de finalização da implantação do novo serviço no hospital filantrópico. As etapas iniciais já foram cumpridas. A habilitação do Ministério da Saúde, a Portaria Nº 1.100 que autoriza o transplante, já foi publicada no Diário Oficial da União.

No estado, já é realizado, por outras unidades de saúde, o implante de medula óssea, mas somente em casos a partir dos 14 anos. Abaixo dessa idade, os pacientes têm que se deslocar para outros estados para viabilizar o tratamento. No caso do Martagão, unidade de saúde referência em atendimentos pediátricos na Bahia, o serviço abrangerá a faixa etária de 0 a 18 anos.

O Martagão Gesteira é mantido pela Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil. Sob a gestão da entidade estão, ainda, o Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana, o Centro de Referência Estadual para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (Crea-Tea) e o Hospital Sokids, em Vilas do Atlântico.

Deixe seu comentário