Hospital da Mulher capacita fonoaudiólogas para o teste da orelhinha

Foto: Marilane Correntino

O Hospital Estadual da Mulher (Hemu) iniciou, nesta quarta-feira (20), uma capacitação para os profissionais da Fonoaudiologia sobre a ”Triagem Auditiva Neonatal”. Ministrado pela especialista em audiologia – fonoaudióloga Hellenninna Martins Marçal, o curso tem como objetivo atualizar a equipe para um atendimento de qualidade e segurança ao realizar o teste da orelhinha.

A especialista falou da importância da realização do exame e mostrou uma das técnicas mais usadas nas triagens auditivas neonatais – emissões otoacústicas transientes. “Trata-se de um teste de triagem objetivo que avalia o sistema auditivo, mais especificamente as células ciliadas externas da cóclea, a fim de detectar precocemente os problemas de audição e poder intervir”, afirmou Hellenninna que costuma fazer cerca de 8 a 12 testes, por dia, no Hemu. O teste de Emissões Otoacústicas Transientes também pode ser realizado em adultos para complementar o diagnóstico de problemas auditivos.

Para que se possa fazer o diagnóstico precoce o teste deve ser realizado, preferencialmente, nos primeiros dias de vida (24h a 48 horas) na maternidade, antes da alta hospitalar. Em uma sala silenciosa, o profissional coloca um aparelho, que produz estímulos sonoros leves e mede o retorno desses estímulos de estruturas do ouvido interno. Caso identificadas alterações, o bebê deve ser encaminhado a um especialista para que sejam feitos exames complementares.

A audição é fundamental para o desenvolvimento da fala, da linguagem e da aprendizagem e o fonoaudiólogo tem papel fundamental durante todas as fases do processo de detecção, diagnóstico e intervenção precoce nas alterações auditivas.

Durante o treinamento foi mostrado, na prática, o teste da orelhinha, em um bebê de dois dias de nascido. O resultado saiu na hora e não foi detectada nenhuma alteração.

Segundo a coordenadora multiprofissional da Psicologia e Fonoaudiologia, Flávia Zenha, essa capacitação é extremamente importante. “O profissional capacitado, lida melhor com problemas, se relaciona de forma mais assertiva, podendo assim, atender os pacientes de forma mais segura e humanizada, contribuído com os resultados e indicadores da Instituição. Atualmente contamos com oito fonoaudiólogas na unidade e todas passarão pelo treinamento”, destacou a coordenadora.

Teste da Orelhinha – É um direito da criança, garantido pela Lei Federal nº 12.303, de 2 de agosto de 2010, que torna obrigatória a realização do exame denominado Emissões Otoacústicas Evocadas. Ele deve ser realizado em todos os recém-nascidos ainda na maternidade para a identificação de alguma deficiência auditiva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.