Falta de soro fisiológico prejudica clínicas de diálise

A Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplantes (ABCDT) notificou o Ministério da Saúde sobre a falta de frascos de soro fisiológico, insumo necessário para o tratamento de diálise. A associação recebeu denúncia de clínicas de mais de 25 cidades sobre a falta de soro nos estoques e a impossibilidade de reposição do material. Quando encontram, são oferecidos apenas poucos frascos de 250 ml e a preços muito mais altos.

Assim como a falta de oxigênio na saúde é grave, a do soro inviabiliza tratamentos.

“Entendemos que isto é uma ameaça à vida de pacientes que fazem diálise, solicitamos ao Ministério da Saúde que tome as providências necessárias para normalizar o mercado e evitar o desabastecimento numa área da saúde tão sensível. A notificação já está protocolada” , alerta o presidente da ABCDT, o médico Marcos Vieira.

“Solicitamos que alguma providência cabível e possível possa ser tomada diante da especulação que tem acontecido há pelo menos seis meses com a comercialização de soro fisiológico, sumindo do mercado e cobrando preços absurdos. Alguma coisa tem que ser feita pelas autoridades da saúde no brasil: o Ministério da Saúde e a Anvisa precisam verificar de fato o que está ocorrendo com as empresas credenciadas e licenciadas para produção deste insumo vital em saúde pública”, diz a médica nefrologista Dra. Lourdes Rossetti Carvalho, do Centro de Terapia Renal de Cruzeiro.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.