Hospital de Base e Famerp fazem mais de cem exames em ação contra hepatites

Nesta quinta-feira (28), Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, foi finalizada a ação realizada entre Hospital de Base e Famerp, de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, de conscientização sobre esta data. Foram realizados pelo menos 130 testes rápidos de hepatite B e C em quem passou em frente ao HB entra quarta e quinta-feira. A ação é importante pois as hepatites podem levar a graves complicações, como cirrose e câncer de fígado.

Uma das pessoas que passaram por lá foi o Sr. José Hélio Batista, aposentado de 76 anos. Ele veio ao Shopping do HB, viu a ação acontecendo e resolveu se prevenir. “Acho importante. É muito bom fazer isso aí”, diz ele, que além dos testes rápidos também fez o teste de elastografia.

O Sr. Wanderley Custódio de Carvalho, de 69 anos, morador de Mirassol, veio a uma consulta com o oftalmologista e também aproveitou para fazer o teste rápido de hepatites – pela primeira vez na vida, inclusive. “Passei por aqui e resolvi fazer o teste. Acho importante prevenir porque é a primeira vez que estou fazendo. Achei bom e fui bem recebido.”

Dona Maria Aparecida Fernandes, de 72 anos, também aposentada, ficou sabendo pelo jornal que a ação aconteceria, por isso veio esperando fazer uma elastografia. “Olha quanta gente tem aqui. A população tem essa carência. É muito importante se prevenir. Eu tenho gordura no fígado e queria passar por especialista, por isso quando vi essa oportunidade pensei que não poderia deixar escapar.”

A ação foi uma parceria entre o Hospital de Base e os alunos de medicina e enfermagem que integram a Liga do Fígado, além do Rotary Club de Rio Preto, que fez a doação da van onde os testes foram realizados.

“Estamos aderindo ao propósito da Organização Mundial da Saúde (OMS) de alcançar a erradicar das hepatites até 2030”, explica a Dra. Rita de Cássia Martins Alves da Silva, hepatologista responsável pelo Centro de Hepatites do Hospital de Base e docente responsável pela Liga do Fígado da Famerp.

A transmissão do vírus da hepatite B e C se dá pelo sangue e outras secreções corporais contaminados, como relações sexuais desprotegidas, injeções ou feridas provocadas por material contaminado, tratamento com sangue e derivados contaminados, por alicates de unha contaminados e de mãe para filho durante o parto. Ou seja, além do diagnóstico precoce, é essencial a prevenção contra as hepatites – contra a B, inclusive, existe vacina disponível nas unidades básicas de saúde.

Os pacientes com testes positivos foram encaminhados para outro exame; em caso de diagnóstico confirmado, foram direcionados para o tratamento – contra ambas as hepatites existem terapias disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A hepatite C é a única para a qual existe cura; para a B existe tratamento, mas caso o paciente interrompa o uso dos comprimidos o vírus deixa de estar “silencioso” e pode causar muitos problemas, de forma semelhante à que ocorre com o HIV.

Importância do diagnóstico

“A maioria das pessoas que tem hepatite não sabe. É uma doença muito silenciosa. Às vezes o paciente tem este positivo e nos relata boca amarga, enjoo, má digestão. São sintomas inespecíficos. A hepatite pode dar náusea, vômito, dor abdominal, febre, pode se comportar no adulto como uma virose não identificada. A icterícia ocorre, mas em menos da metade dos casos”, explica Dra. Rita.

Sendo assim, para erradicar a doença é necessário o diagnóstico precoce, por meio dos testes – caso contrário, o prognóstico é ruim, pois a hepatite pode evoluir para cirrose e até câncer de fígado. Todos os exames feitos nesta quinta-feira (28) são gratuitos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.