Hospital Metropolitano alerta para risco de quedas entre adultos de meia idade e idosos

Levantamento realizado pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), aponta que os adultos de meia idade e idosos são as principais vítimas de quedas.

Somente em 2021, a unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde em Ananindeua (PA), registrou 2.206 entradas de vítimas desse tipo de acidente no Pronto Atendimento, dos quais 826, o que corresponde a 37,4% dos casos, eram da faixa etária a partir de 50 anos de idade. As quedas já são a segunda maior causa de atendimentos no setor, atrás apenas de acidentes de trânsito.

Segundo o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), fatores variados podem contribuir para que esses acidentes aconteçam, tanto em casa, quanto na rua, entre eles falta de iluminação nos ambientes, problemas de vista e obstáculos no caminho, como por exemplo fios e móveis, além de chão liso ou molhado.

“Um acidente que pode parecer simples tem potencial, inclusive, de mudar a vida de uma pessoa. É importante redobrar a atenção, observar e, se for o caso, pedir ajuda sempre”, diz o médico traumatologista do Hospital Metropolitano, José Guataçara.

Quanto aos tipos de lesão, o profissional explica que podem ser diversas. “Os traumas variam e vão desde uma torção até uma fratura grave como a de colo de fêmur, que é uma das mais comuns. No caso dos idosos, é pior por conta de outros problemas associados, como osteoporose, por exemplo”, completa.

Alcídia Ferreira da Silva, de 89 anos, veio de Concórdia do Pará, interior do estado, para atendimento no Hospital Metropolitano após sofrer uma queda em casa e fraturar o fêmur.

“Eu estava sozinha em casa quando caí. Tropecei no meu cachorro, quando ele passou rápido na minha frente. Minha neta chegou e prestou o socorro. Senti medo, mas estou sendo bem tratada agora”, conta a idosa.

Dicas para prevenir acidentes em casa

– Evitar tapetes soltos e use tapete antiderrapante no banheiro;
– Escadas devem ter corrimão nos dois lados;
– Não subir em bancos ou cadeiras;
– Não andar em áreas com piso úmido ou molhado;
– Deixar uma luz acesa à noite, para o caso de precisar se levantar;
– Se necessário, usar bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio ajudam a prevenir e evitar acidentes;
– Em caso de acidente, ligar para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no número 192.

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, que pertence ao Governo do Estado do Pará, oferece atendimentos de média e alta complexidades, atuando como referência em traumatologia no Pará. A unidade desenvolve um importante papel social, por meio de ações e campanhas de conscientização e promoção da saúde, sobre temas como acidentes domésticos e de trânsito.

Dentro da unidade, a prevenção de quedas faz parte das rotinas assistenciais. O item consta entre as Seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente, definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo trabalhada de diferentes maneiras com colaboradores e pacientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.