IBSP ressalta recomendações necessárias para prevenir disseminação da Monkeypox no Brasil

Exame de identificação de Monkeypox. Foto: Envato

No início de junho foi confirmado o primeiro caso de Monkeypox (varíola dos macacos) no Brasil. Desde então, 17 casos da doença já foram identificados. Para evitar novas contaminações, processos de segurança precisam ser adotados nos hospitais e reforçados juntos aos profissionais de saúde. Pensando nisso, o Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP) ressalta algumas recomendações para o controle da doença.

Para os serviços de saúde, a indicação é que seja implementado um Plano de Contingência com ações estratégicas para enfrentamento de possíveis novos casos de Monkeypox. Além disso, é recomendado que a vigilância seja estruturada e atue, preferencialmente, em conjunto com o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP). É importante também manter um bom fluxo de comunicação, inserir e treinar protocolos e identificar possíveis pontos de melhoria contínua.

Conforme o diretor-executivo do IBSP e médico infectologista, Dr. José Branco, em caso de suspeita de contaminação, os cuidados recomendados são aqueles “universais”. Isto é: isolamento e uso de equipamentos de segurança, como máscaras, gorros e aventais. Além disso, é necessário que seja realizada uma quarentena de 21 dias. O especialista reforçou que, apesar do medo em torno da disseminação da doença, os profissionais da saúde têm duas vantagens no combate à varíola dos macacos.

“Nós já sabemos sobre o mecanismo de transmissão e o que precisa ser feito. Uma outra vantagem é que, desde 2019, já temos uma vacina para ela. Nos países onde há maior número de casos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já está liberando o imunizante, principalmente para os profissionais de saúde”, explicou o Dr. Branco.

Por outro lado, o infectologista informou que, apesar de a doença comumente se apresentar de forma branda, ainda não se sabe como ela se comporta em pacientes imunodebilitados, como aqueles com Síndrome da Imunodeficiência Humana (Aids), câncer, entre outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.