Instituto Jô Clemente completa 60 anos reforçando o protagonismo da pessoa com deficiência intelectual

O Instituto Jô Clemente, antiga Apae de São Paulo, completou neste domingo, 4 de abril, 60 anos. Fundada em 1961 por um grupo de pais de crianças com deficiência intelectual que acreditavam no potencial de seus filhos, a Instituição é uma das principais organizações atuantes em prol da inclusão de pessoas com deficiência intelectual na sociedade e atua em diferentes pilares: prevenção e promoção da saúde, defesa e garantia de direitos, produção e disseminação de conhecimento e promoção da autonomia e do protagonismo das pessoas com deficiência intelectual para que sejam incluídas em todas as esferas sociais, desde o nascimento até o envelhecimento.

“Há 60 anos somos referência na causa da deficiência intelectual, com programas que promovem inclusão social e qualidade de vida às pessoas com deficiência intelectual. Temos muito orgulho da nossa trajetória e da história que temos construído”, diz Daniela Mendes, superintendente geral do Instituto Jô Clemente. “Vivemos tempos difíceis, por conta da pandemia provocada pelo novo Coronavírus, que está impondo desafios imensos à nossa Organização, mas continuamos oferecendo apoio com excelência às pessoas com deficiência intelectual e familiares em todos os nossos serviços”, afirma. Em 2020, em razão da pandemia e das medidas de isolamento social, o Instituto Jô Clemente implementou o atendimento remoto na maior parte dos serviços, por meio dos teleatendimentos, realizados através de plataformas de áudio, vídeo e mensagens, de acordo com a disponibilidade das famílias. O formato ainda está sendo adotado, devido à manutenção da quarentena, conforme as determinações das autoridades sanitárias.

“Ao longo da nossa trajetória, superamos muitos desafios e evoluímos muito, sempre com foco na ampliação dos serviços e na manutenção da excelência que nos tornou referência na causa da deficiência intelectual. Nosso propósito é promover o real protagonismo dessas pessoas, por isso, investimos muito em programas de inclusão social, tanto escolar quanto profissional. Com isso, por meio do nosso Serviço de Inclusão Profissional, já contribuímos para que mais de 2.800 jovens e adultos com deficiência intelectual e/ou autismo conquistassem espaço no mercado de trabalho em cerca de 50 empresas e órgãos públicos em São Paulo. Somente em 2020, apesar da pandemia, inserimos 345 jovens e adultos no mundo do trabalho”, orgulha-se Daniela.

Serviços

Atualmente, o Instituto Jô Clemente atende em média 20 mil pessoas com deficiência intelectual e familiares por ano em 12 pontos de atendimento localizados em diversas regiões da cidade de São Paulo. Em 2020, foram 19.069 pessoas. Entre os serviços oferecidos estão o Teste do Pezinho Ampliado, Ambulatório de Triagem Neonatal, Ambulatório de Diagnóstico, Estimulação e Habilitação, Atendimento Educacional Especializado (na perspectiva da educação inclusiva), Psicopedagogia, Inclusão Profissional e Longevidade, Defesa e Garantia de Direitos, Jurídico Social, prevenção e apoio a situações de violência ou violação de direitos. A Organização faz, também, a gestão do Centro de Apoio Técnico da 1ª Delegacia de Polícia da Pessoa com Deficiência, por meio de parceria com a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo. “Todos os serviços são fundamentais para a pessoa com deficiência e a demanda é grande. No nosso Ambulatório de Triagem Neonatal, por exemplo, realizamos 15.100 consultas no ano passado, um número bastante significativo”, comenta Daniela.

Os serviços oferecidos pelo Instituto às pessoas com deficiência se iniciam na primeira infância, quando as crianças não atingem os marcos esperados do desenvolvimento infantil. Nessas situações, o Serviço de Estimulação e Habilitação tem como objetivo promover o desenvolvimento global da criança de até 14 anos com hipótese ou diagnóstico confirmado de atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, deficiência intelectual, síndromes genéticas e atendimento preventivo do recém-nascido de risco. As atividades são realizadas por uma equipe interdisciplinar, com a presença e a participação ativa dos pais. Em 2020, foram realizados 92.741 procedimentos.

Acompanhando o ciclo de vida da pessoa com deficiência intelectual, o apoio oferecido pelo Instituto Jô Clemente na idade escolar se dá por meio do Atendimento Educacional Especializado (AEE), que oferece suporte direto ao estudante de 4 a 17 anos com o propósito de que o aluno possa construir autonomia a partir dos recursos e potencialidades que possui. Para tal, dispõe de métodos educacionais e estratégias que são definidos de acordo com as características de cada criança/adolescente, favorecendo o rompimento das barreiras nos ambientes sociais, educacionais e familiares.

Na fase adulta, vinculado ao Serviço de Inclusão Profissional, o Instituto Jô Clemente possui o Serviço de Longevidade, que atende pessoas com deficiência intelectual a partir de 36 anos que tenham sinais de envelhecimento precoce. As atividades contemplam diversas oficinas e contam com equipe interdisciplinar especializada em gerontologia. Todas as atividades desenvolvidas têm como objetivo a manutenção da funcionalidade por meio de ações de promoção de saúde e inclusão.

Instituto Jô Clemente é referência no Teste do Pezinho

Em 1976, o Instituto Jô Clemente implementou o Teste do Pezinho no Brasil, e, desde 2001, é um Serviço de Referência em Triagem Neonatal (SRTN) credenciado pelo Ministério da Saúde. Atualmente, a Organização é responsável pela realização do teste de 80% dos bebês nascidos na capital paulista e 67% dos recém-nascidos do Estado de São Paulo por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

O Laboratório do Instituto Jô Clemente é o maior do país em número de exames da Triagem Neonatal realizados e oferece o Teste do Pezinho Ampliado na rede pública do município de São Paulo e por meio de convênios ou atendimentos particulares. O teste ampliado contempla a detecção de até 50 doenças, incluindo dezenas de condições raras. Desde 1976, já foram triados mais de 17 milhões de bebês brasileiros. A Instituição é um Centro de Referência em fenilcetonúria, deficiência de biotinidase e hipotereoidismo congênito, doenças raras diagnosticadas no Teste do Pezinho que podem evoluir para a deficiência intelectual se não tratadas da maneira correta.

CEPI

Criado há 45 anos, o Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação (CEPI) do Instituto Jô Clemente atua na geração e disseminação do conhecimento sobre deficiência intelectual, reunindo programas e projetos no campo da educação e da pesquisa. Além da 1ª pós-graduação focada na deficiência intelectual, entre outros cursos, é responsável pela estruturação e gestão de pesquisas científicas, visando a transformação da prática de atendimento às pessoas com deficiência intelectual e, consequentemente, promovendo sua inclusão na sociedade.

Gestão

Ao longo dessas seis décadas, a Organização se tornou conhecida pelo pioneirismo e credibilidade institucional, contando atualmente com 429 funcionários, além de 304 voluntários comprometidos com a causa da deficiência intelectual. A gestão alinhada às melhores práticas de governança corporativa e o engajamento dos colaboradores tornou possível a conquista de diversas premiações ao longo dos anos, incluindo internacionais, como o Zero Project, que reconheceu em 2020 o trabalho realizado no Serviço de Inclusão Profissional, que utiliza a metodologia do Emprego Apoiado.

O Instituto Jô Clemente faz parte, desde 2014, do Pacto Global das Nações Unidas, comprometido com a iniciativa de responsabilidade corporativa e com os princípios do órgão, que visa promover a sustentabilidade das corporações nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção. Conta, também, com parceria com a Fundação Dom Cabral para capacitar gestores e alinhar as operações às boas práticas de governança, considerando riscos, desafios e oportunidades.

Todos os serviços oferecidos pela Organização às pessoas com deficiência intelectual e suas respectivas famílias e cuidadores têm como princípio norteador a inclusão social. Contudo, ainda há muitas barreiras a serem superadas. Pensando nisso, foi criado o Serviço de Defesa e Garantia de Direitos, que busca garantir os direitos fundamentais elencados na Convenção dos Direitos da Pessoa com Deficiência promulgada pela ONU em 2009.

Campanha #nascemosinclusivos

Para celebrar a data e reforçar seu novo posicionamento na sociedade, depois que mudou a marca para Instituto Jô Clemente, em 2019, a Organização lançou em março a campanha #nascemosinclusivos nas redes sociais, a fim de potencializar a mensagem e o trabalho realizado desde 1961, principalmente para quem ainda não conhece a causa e pode contribuir com a disseminação da mensagem. Para isso, o Instituto convidou influenciadores e celebridades para serem ser embaixadores dos 60 anos do Instituto Jô Clemente, por meio da postagem em suas redes sociais de fotos e vídeos com a camiseta comemorativa dos 60 anos. Os posts estão sendo compartilhados com as hashtags #nascemosinclusivos, #IJC60anos e #60anosdeinclusao.

“Nossa ideia é disseminar nossa crença, valores e propósito, além de reforçar a marca do Instituto Jô Clemente como referência nacional da causa da deficiência intelectual e engajar a sociedade a participar dessa luta pela inclusão plena da pessoa com deficiência intelectual na sociedade, através do reconhecimento e valorização de seu potencial. Somente assim teremos uma sociedade mais justa e e igualitária”, afirma Isa Degaspari, gerente de Desenvolvimento Institucional do Instituto Jô Clemente.

Até dezembro, diversas ações devem ser realizadas, como a divulgação de histórias de pessoas apoiadas pela Organização, lives sobre assuntos relacionados à deficiência intelectual, campanhas de comunicação interna e peças publicitárias que devem ser divulgadas em veículos de comunicação e pontos estratégicos do município de São Paulo. A campanha contará, ainda, com peças que remontam a trajetória do Instituto desde sua fundação nas redes sociais, em formato de TBTs, além de vídeos produzidos por funcionários, voluntários, pessoas com deficiência intelectual e familiares, contando suas histórias na Instituição. “Queremos mostrar o quanto é importante o nosso trabalho para sensibilizar a sociedade a promover a inclusão”, completa Isa.

Instituto Jô Clemente

O Instituto Jô Clemente é uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos que há 60 anos previne e promove a saúde das pessoas com deficiência intelectual, além de apoiar a sua inclusão social e a defesa de seus direitos, produzindo e disseminando conhecimento. Atua desde o nascimento ao processo de envelhecimento, propiciando o desenvolvimento de habilidades e potencialidades que favoreçam a escolaridade e o emprego apoiado, além de oferecer assessoria jurídica às famílias acerca dos direitos das pessoas com deficiência intelectual. Pioneiro no Teste do Pezinho no Brasil e credenciado pelo Ministério da Saúde como Serviço de Referência em Triagem Neonatal, o Laboratório do Instituto Jô Clemente é o maior do Brasil em número de exames realizados e oferece, atualmente, o Teste do Pezinho Ampliado na rede pública do município de São Paulo, contemplando o diagnóstico precoce de até 50 doenças, incluindo dezenas de condições raras. Por meio do CEPI – Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação do Instituto Jô Clemente, a Organização gera e dissemina conhecimento científico sobre deficiência intelectual com pesquisas e cursos de formação.

Informações: (11) 5080-7000 / www.ijc.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.