Médicos constatam evolução clínica de pacientes obesos com uso da cannabis medicinal

A obesidade é uma questão de saúde pública. Ao mesmo tempo que cresce o número de pacientes com sobrepeso, a ciência também evolui para novas descobertas e tratamentos, que podem mudar a vida de mais de 20 milhões de brasileiros. É isso que os médicos e especialistas ao redor do mundo estão fazendo para levar mais qualidade de vida a seus pacientes por meio da cannabis medicinal.

“Temos observado avanços incríveis no uso do canabidiol em pacientes com obesidade, como melhora dos níveis glicêmicos e insulínicos, controle da ansiedade e redução da compulsão alimentar. Algumas pesquisas também têm apontado para efeitos relacionados ao controle de hormônios intestinais, como grelina, leptina, GLP1 e colecistoquinina, que estão relacionados à regulação do aumento de peso e gordura corporal”, explica a doutora Paula Pileggi Vinha, médica nutróloga. Vinha já adota a Medicina Canabinoide há seis anos em sua prática, obtendo sucesso em diferentes condições clínicas. Vale ressaltar que o canabidiol não possui as propriedades psicoativas que são típicas da planta Cannabis sativa. No contexto científico, o uso medicinal desta substância já foi avaliado em doenças como epilepsia, transtornos de ansiedade, distúrbios do sono, Parkinson e esquizofrenia. “Na obesidade, os conhecimentos ainda são limitados, mas o canabidiol demonstra grande potencial como adjuvante, auxiliando na melhoria da qualidade de vida. Mais estudos ainda são necessários para comprovar todos os possíveis benefícios”, completa Vinha.

Enquanto os estudos ainda avançam, médicos do mundo todo compartilham experiências promissoras e, por vezes, inesperadas, ao observar melhoras em parâmetros clínicos relacionados com a obesidade quando se está tratando de outra condição, como dores crônicas. Essa observação prática chama a atenção para novas possibilidades e abre caminho para novas pesquisas e descobertas de tratamento. Foi desta forma que a médica Paula Vinha, que também é intensivista e doutora em clínica médica pela Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, está ajudando pacientes a perderem peso com saúde. “É extremamente importante entender que o canabidiol não pode ser utilizado como a única solução, pelo contrário! O tratamento da obesidade é complexo e multidisciplinar, e o canabidiol pode ser mais uma alternativa para atingir melhores resultados. Cada paciente tem um histórico, e cabe ao médico e aos profissionais de saúde que o acompanham fazer o levantamento das causas, bem como quais soluções serão utilizadas no tratamento”, explica a doutora.

De acordo com os relatos médicos e pesquisas preliminares, o Canabidiol teria potencial de atuar de modo multifatorial, podendo contribuir tanto com aspectos metabólicos quanto psicológicos. Todas essas hipóteses serão debatidas por especialistas de 3 a 6 de março no I Congresso Brasileiro de Medicina da Obesidade, no Centro de Convenções Centro Sul de Florianópolis (SC).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.