“Não conseguiremos manter a sustentabilidade do sistema de saúde sem novas abordagens”, afirma especialista

A incorporação de tecnologias e a sustentabilidade do setor de saúde sempre foi uma pauta importante nas discussões do segmento, no entanto, a pandemia acelerou a necessidade de discutir o tema e propor soluções, já que a utilização dessas tecnologias ficou ainda mais evidente. Pensando nisso, o 23º Congresso UNIDAS – Novas Perspectivas da Saúde: 2020 Como o Divisor de Águas contará com o painel “Incorporação Sustentável de Tecnologias”.

O painel terá a participação de Vera Valente, diretora executiva da FenaSaúde, Ricardo Maykot, diretor comercial da Novartis, e Juliana Busch, diretora de previdência e assistência da Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da Fundação Nacional de Saúde (Capesesp). Goldete Priszkulnik, executiva médica em gestão em saúde, será a moderadora do debate.

“O tema é primordial, porque traz em seu bojo uma discussão profissional e responsável dos caminhos que devemos seguir para que a saúde suplementar não colapse por falta de financiamento e por diminuição de beneficiários, por exemplo. Além disso, os participantes do painel representam todos os atores envolvidos na cadeia de valor da saúde suplementar, algo fundamental para o debate”, explica Goldete, que também é curadora do painel.

“É importante discutirmos conjuntamente, buscando soluções que garantam ao mesmo tempo a solvência do sistema e a necessidade de garantirmos o acesso dos pacientes às novas tecnologias. Nós não conseguiremos manter a sustentabilidade do sistema de saúde se não buscarmos novas abordagens”, complementa Ricardo Maykot, que vai falar sobre o papel da co-criação e das parcerias de longo prazo na viabilização de novas tecnologias.

De acordo com Goldete, “os desafios do setor são de todos os atores, mas autogestões sentem mais o impacto das novas incorporações, principalmente em fármacos, por que possuem uma população crescente de idosos, mais do que as outras operadoras do setor”.

“O desafio é conciliar a pressão de custo das novas tecnologias com a queda de receita das operações atuais”, completa Ricardo, que vê como alternativa trabalhar com modelos inovadores de acesso, baseados em desfechos.

“O Congresso da UNIDAS proporciona discussões de temas relevantes para a saúde suplementar e para as autogestões. Além da troca de experiências, também é possível conhecer iniciativas já bem sucedidas de controle e regulação em saúde que permitam uma incorporação de tecnologia factível ao financiamento das empresas”, finaliza a executiva médica em gestão em saúde.

23º Congresso UNIDAS – Novas perspectivas da saúde: 2020 como o divisor de águas

Painel: Incorporação sustentável de tecnologias

Quando: 13 de novembro, 9h às 10h30

Hotsite: 23congresso.unidas.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.