Nova tecnologia para tratamento de tumores no fígado, rins e pulmões chega a Goiás

Os médicos Raja Venkata e Marcos Menezes que realizaram procedimento médico inédito em Goiânia

O procedimento chamado ablação por micro-ondas, com uso do Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas (MTA) Solero, da empresa americana Angiodynamics, foi realizado pela primeira vez em Goiás, no Hospital São Francisco em Goiânia, pelos médicos radiologistas e intervencionistas Marcos Menezes, do Hospital Sírio Libanês de São Paulo; e Raja Venkata, do Instituto de Angiologia Raja Venkata em Goiânia (GO). A nova técnica, que chegou ao Brasil no ano passado, foi realizada num paciente de 66 anos, do sexo masculino e acometido por um tumor primário de fígado chamado hepatocarcinoma.

“Esse tumor é um tipo de tumor que costuma ter pouca resposta à quimioterapia, então, neste caso, foi preciso fazer algo realmente local. O paciente já havia feito uma quimioembolização, para redução do tumor, depois completamos o tratamento com a ablação por micro-ondas”, explica o médico Marcos Menezes, que veio de São Paulo para a realização do procedimento, que também contou com o acompanhamento do médico Raja Venkata.

Coordenador do Centro de Intervenção Guiada por Imagem do Hospital Sírio Libanês de São Paulo, Marcos Menezes é o responsável pela introdução da técnica terapêutica no Brasil, ao ser o primeiro médico brasileiro a realizar o procedimento no país há dois anos. De acordo com o médico, no caso dos tumores de fígado, como o que foi tratado em Goiânia no sábado (30), a taxa de cura da cirurgia e do novo tratamento por ablação têm praticamente a mesma eficácia. “Hoje os resultados das terapias ablativas, sejam por micro-ondas ou por radiofrequência, têm praticamente a mesma eficácia do que uma cirurgia aberta, mas com a grande vantagem de ser muito menos agressivo ao paciente, e, portanto, de fácil recuperação e preserva o fígado”, destaca o especialista.

Ainda sobre os tumores do fígado, Marcos Menezes também explica que a técnica de ablação por micro-ondas também assegura uma integridade muito maior ao órgão, que é o único do corpo humano que consegue se regenerar. “Às vezes você tem um nódulo no meio do fígado e por meio da cirurgia convencional, para se tratar esse tumor, o cirurgião é obrigado a retirar metade do órgão. Mas com o método de ablação você simplesmente insere uma agulha guiada e trata somente o tumor, e o paciente continua com o fígado dele”, pontua o médico.

Rápida recuperação

Minimamente invasivo, o procedimento é feito por meio de punção com uma agulha guiada por tomografia e/ou ultrassom, que queima e cauteriza o tumor em até seis minutos. A técnica, que pode tratar nódulos de até 5 centímetros, substitui uma cirurgia aberta e o paciente recebe anestesia geral ou sedação, o que depende de cada caso. A internação é de apenas 24 horas. “Você liga esse dispositivo médico e esquenta a lesão tumoral, que é destruída pelo calor onde a temperatura chega de 60 a 80 graus. A lógica de funcionamento é semelhante a de um aparelho de micro-ondas que se tem na cozinha, que movimenta as moléculas de água de forma extremamente rápida, só que você faz isso de uma maneira bem localizada”, detalha o médico do Síro Libanês, ao explicar o funcionamento do Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas (MTA) Solero.

Além de ser altamente curativa, tal como a cirurgia convencional, e minimamente invasiva, a nova técnica de ablação por micro-ondas é ainda mais vantajosa em relação à terapia por radiofrequência, que já é usada no Brasil há mais tempo. “Com essa nova tecnologia você consegue fazer ablações maiores e mais rapidamente. Para se ter uma ideia, com a técnica da ablação por radiofrequência o procedimento levava em torno de uma hora, já a ablação por micro-ondas esse tempo de procedimento pode cair para 4 ou 5 minutos”, explica o médico Marcos Menezes.

Em Goiás

O paciente em Goiânia que passou pelo novo procedimento de ablação por micro-ondas é assistido pelo médico radiologista e intervencionista Raja Venkata. Segundo ele, com a chegada do Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas (MTA) Solero, os goianos já podem contar com uma moderna e eficiente ferramenta terapêutica contra o câncer. “Em São Paulo o procedimento já é bem difundido. Agora, com a chegada dessa nova tecnologia em Goiás, será possível atender os pacientes daqui para tratamento de tumores em órgãos como pulmão, rins e fígado”, afirma o médico.

No Centro-Oeste, o Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas (MTA) Solero é representado pela empresa goiana Top Med, que cede o aparelho mediante a compra das agulhas utilizadas no procedimento, que são descartáveis. Segundo a enfermeira Alline Candida, executiva na empresa, tratativas com planos de saúde já estão sendo feitas para ampliar o acesso ao tratamento no Estado. Com 11 anos de mercado e sede em Goiânia, a Top Med é pioneira na distribuição de novas tecnologias médicas no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.