Procedimento realizado ainda na gestação salva a vida de gêmeos

A síndrome de transfusão Feto Fetal é uma patologia rara e que pode acometer cerca de 10% a 15% das gestações de gêmeos de mesma placenta, segundo publicação da Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto. A situação é caracterizada por um dos gêmeos que doa o próprio sangue para o irmão e não o recebe de volta.

Recentemente a Maternidade Brasília (DF) realizou mais um procedimento para corrigir a anomalia. Desta vez, em uma mãe que estava com 24 semanas de gestação. O método usado foi a Laserterapia para Síndrome de Transfusão Feto Fetal (cirurgia fetal realizada por fetoscopia).

“Os dois bebês ficam em risco nesta situação. Quem doa o sangue fica com menos volume, e quem recebe sobrecarrega o coração. O problema está nos vasos placentários que se comunicam”, explica o coordenador na medicina materno fetal da Maternidade Brasília, Evaldo Trajano. De acordo com o médico, este é um problema que pode ocorrer em qualquer fase gestacional.

Caso não tivesse feito a cirurgia a tempo, a chance de os bebês sobreviverem seria mínima. “O que favoreceu este caso foi o diagnóstico feito a tempo, no ambulatório de gemelaridade da Maternidade. A agilidade dos processos até a intervenção foi crucial para uma boa resolução”, enfatiza.

A Maternidade Brasília dispõe do serviço de Medicina Materno-Fetal, com equipe multidisciplinar especializada. Esse serviço encontra-se disponível tanto para exames de rotina como para os casos de alta complexidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.