Programa oportuniza aprimoramento médico e troca de experiências

Objetivo é promover a educação médica continuada, inserindo os médicos diretamente nos desafios do tratamento dos seus pacientes dentro da hemodinâmica

Reconhecido pela excelência nos procedimentos intervencionistas realizados no Serviço de Hemodinâmica do Centro Cardioneurovascular, o Hospital Unimed Chapecó (SC) sai na frente mais uma vez. Com tecnologia de ponta e equipe de médicos e de enfermagem altamente qualificada, foram realizados três procedimentos complexos com foco na interdisciplinaridade.

A iniciativa fez parte do primeiro módulo do Programa “Realidade no Laboratório de Hemodinâmica”, realizado recentemente na Unimed Chapecó. O objetivo é promover a educação médica continuada, inserindo os médicos diretamente nos desafios do tratamento dos seus pacientes dentro da hemodinâmica.

A ideia central é que os cardiologistas, cirurgiões e hemodinamicistas que referenciarem seus pacientes para tratamento de intervenção dentro da Unimed estejam presentes no momento do ato cirúrgico e participem ativamente das decisões, das intercorrências e do resultado final do procedimento.

O implante valvar aórtico percutâneo (TAVI) foi feito em uma paciente idosa com estenose da válvula aórtica. O procedimento consistiu no implante de uma prótese dentro do coração para aliviar a obstrução causada pela válvula estreitada, inserida por uma artéria da virilha. Foram duas horas com atuação do Dr. Rogério Tadeu Tumelero como supervisor, do Dr. Julio Roberto Barbiero e do Dr. Guilherme Bernardi como operadores, da Dra. Ana Paula Rossini como ecocardiografista e dos anestesistas Dr. Humberto Hepp e Dr. Leonardo Ferrazzo. Atuaram também como convidados os hemodinamicistas Dr. Elias Conti e Dr. Fernando Bernardi.

“A troca de experiências foi excelente! Passamos um dia agradável, na companhia de amigos e colegas especialistas e pudemos acompanhar os casos, debatendo as condutas e participando dos procedimentos. Certamente uma grande iniciativa da equipe de Hemodinâmica do Hospital Unimed”, analisa o cardiologista e hemodinamicista, Dr. Guilherme Bernardi.

COMUNICAÇÃO INTERATRIAL

O fechamento de comunicação interatrial foi realizado em uma paciente jovem, com doença congênita caracterizada pelo não fechamento natural dos átrios direito e esquerdo. A prótese foi implantada também sem cortes, acessando o coração pela veia da virilha. A intervenção teve duração de uma hora e meia, com atuação do Dr. Rogério Tumelero como supervisor, Dr. Julio Barbiero e Dr. Mateus Rossato como operadores, Dra. Ana Paula Rossini como ecocardiografista e Dr. Leonardo Ferrazzo como anestesista.

INTERVENÇÃO CORONÁRIA

A intervenção coronária guiada por ultrassom foi realizada em um paciente de 59 anos com reestenose intrastent na coronária direita e lesão de óstio de descendente anterior e tronco de coronária esquerda. O ultrassom intracoronário ajuda a visualizar a artéria do coração “de dentro para fora”, auxiliando na melhor escolha de diâmetro e comprimento das próteses. Dr. Fernando e Dr. Guilherme Bernardi atuaram como operadores e Dr. Julio, Dr. Mateus e Dr. Rogério atuaram como assistentes no ultrassom.

“O Laboratório de Hemodinâmica da Unimed Chapecó está muito bem equipado com o que há de melhor na cardiologia intervencionista. Muito das evoluções obtidas nas últimas décadas no tratamento por cateterismo das doenças cardíacas, ocorreram em virtude do desenvolvimento tecnológico de materiais e equipamentos que possibilitam tratamentos cada vez mais precisos e, até pouco tempo, inimagináveis, impactando diretamente na qualidade do tratamento dos pacientes”, avalia Dr. Fernando Bernardi, cardiologista e hemodinamicista.

Segundo ele, obviamente, são necessários profissionais capacitados e comprometidos com uma agenda de treinamento constante para a incorporação adequada das novas tecnologias que são uma constante na cardiologia moderna. Tudo isto está presente hoje no Hospital Unimed Chapecó”, observa Dr. Fernando ao reforçar que a instituição hospitalar conta com equipe altamente qualificada e sintonizada com os avanços da medicina, somado a um ambiente de trabalho que proporciona o que há de mais avançado nos quesitos de estrutura, equipamentos e materiais.

Dr. Elias Conti, cardiologista e hemodinamicista com atuação no Hospital São Paulo de Xanxerê, reconheceu a importância da iniciativa. “Gostaria, inicialmente, de parabenizar o Dr. Julio Barbiero pela iniciativa na realização do ‘Realidade no Laboratório de Hemodinâmica’ e dizer que tal programa, além de propiciar o aprimoramento no conhecimento médico e gerar uma importante troca de experiência, é também muito benéfico para o paciente, pois permite que vários especialistas discutam o caso e com isso cheguem ao melhor tratamento disponível”.

O médico também ressaltou que, em relação aos casos que presenciou nesse primeiro módulo do programa, o TAVI é realmente um procedimento inovador e que veio para ficar. “O procedimento traz para os pacientes idosos e, muitas vezes, frágeis os quais não iriam tolerar uma cirurgia de troca valvar aórtica convencional (cirurgia com abertura do peito do paciente), um procedimento totalmente percutâneo (realizado apenas com a punção de uma artéria periférica), com resultado no mínimo equivalente ao da cirurgia aberta e com durabilidade prolongada”, afirma Dr. Elias Conti.

No que se refere ao fechamento da comunicação interatrial, trata-se de um procedimento relativamente simples e de baixo risco, onde se implanta uma pequena prótese com acesso pela veia periférica, para fechar a comunicação entre os átrios (por onde podem passar coágulos e fluxo sanguíneo indevido). Com isso, o paciente já sai da sala de hemodinâmica com o problema resolvido.

“A educação continuada, interdisciplinaridade e o potencial humano e tecnológico da Unimed Chapecó colocam o serviço de Hemodinâmica em evidência e em condições de igualdade ao que de melhor se desenvolve no Brasil”, diz o Dr. Rogério Tumelero, hemodinamicista com atuação em Chapecó e Passo Fundo e supervisor de centenas de procedimentos de TAVI já realizados no Brasil e na América Latina.

Dr. Julio realçou que a troca de experiências entre especialistas é fundamental para o sucesso de um procedimento de intervenção em hemodinâmica. “O ambiente de educação médica proporciona um clima de atenção e de cuidado centrado no resultado final, que é a saúde e a satisfação do paciente”, complementa Dr. Julio, idealizador do programa. “Nossa ideia é que o programa seja sustentável e de longo prazo, abrindo as portas da nossa casa para os colegas que quiserem embarcar conosco na jornada do conhecimento”, finaliza Dr. Julio.

Os procedimentos também contaram com o apoio da equipe de enfermagem, formada por Taize Rigo, Sandra Paula C. Santos e Thais Pavelski.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.