Prorrogada 2ª fase da campanha de vacinação contra febre amarela no município de São Paulo

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Paulo decidiu prorrogar a segunda fase da campanha de vacinação contra a febre amarela no município. Antes prevista para se encerrar na sexta-feira (2), a ação se estenderá, agora, até o próximo dia 16 de março. O objetivo com o novo prazo para os moradores dos distritos que integram esta etapa é o de ampliar a cobertura vacinal nestas áreas, consideradas prioritárias. Com meta inicial de imunizar 3,9 milhões de moradores nesta fase, a campanha chegou a 2.138.663 doses aplicadas até a sexta-feira (2), o que representa pouco mais de 53% do público-alvo.

A SMS lembra que os distritos que estão recebendo a campanha contra a febre amarela são definidos de acordo com a proximidade com áreas de risco de contato com o vírus da febre amarela, como os corredores ecológicos. Dessa forma, é fundamental que os moradores das áreas participantes busquem as unidades de saúde que ofertam a vacina na capital. A lista dos postos de vacinação pode ser encontrada neste link: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/doencas_e_agravos/index.php?p=248543

O atendimento é feito mediante apresentação de senha, entregue em casa aos munícipes atendidos pelas equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) ou então retirada na recepção das unidades para os pacientes que não são atendidos dentro do programa ESF, ou então que, porventura, não tenham recebido a senha em sua residência.

Para saber qual a unidade básica de saúde de referência de seu endereço, basta consultar o Busca Saúde (buscasaude.prefeitura.sp.gov.br). Cabe lembrar que a distribuição diária de senhas leva em conta a capacidade operacional de cada unidade.

Além da prorrogação da segunda fase, a pasta segue atendendo à demanda residual da zona Norte, primeira região a receber a vacina contra febre amarela, em setembro de 2017. Em pouco mais de quatro meses, 1.910.695 de moradores foram imunizados nestes locais.

É importante ressaltar que a ação preventiva em São Paulo tem acontecido por fases, sempre priorizando as áreas de maior risco de contato com a doença. Novos distritos da capital paulista serão inseridos nas próximas etapas da campanha de forma a ofertar a imunização a toda população ainda neste semestre.

Nota à imprensa – Casos autóctones de febre amarela na capital

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Paulo informa que três novos casos autóctones – ou seja, adquiridos no próprio município de residência – de febre amarela foram registrados na capital, sendo que um deles evoluiu para óbito. A cidade totaliza oito casos autóctones da doença, com quatro mortes confirmadas.

Todos os novos registros são de homens moradores ou frequentadores da zona Norte, onde a campanha de vacinação teve início ainda em setembro de 2017, no distrito Anhanguera, e segue disponibilizando em suas 90 unidades de saúde a vacina à população que ainda não foi imunizada.

Um dos casos é de um homem de 37 anos, morador da região do Cachoeirinha. Outro, um residente do Mandaqui, de 23 anos. Ambos finalizaram o tratamento e receberam alta médica. Também foi confirmada a morte de um homem de 55 anos, morador do Tucuruvi, em decorrência da febre amarela.

Os cinco casos confirmados anteriormente incluem uma mulher de 33 anos e um homem de 29 anos. Em outros três registros, a doença evoluiu para óbito: uma mulher, de 55 anos, e dois homens, de 24 e 34 anos, respectivamente.

É importante ressaltar que todos estes casos são de febre amarela silvestre; ou seja, adquiridas em regiões de mata. Desde outubro de 2017, foram confirmadas 125 epizootias (morte de primatas não-humanos pela doença) no município.

Vacinação segue na zona Norte

O primeiro registro de morte de macaco por febre amarela aconteceu na zona Norte, que começou a vacinação contra a doença em setembro do ano passado. Até 24 de janeiro, 1.910.695 de pessoas receberam a dose na região. A SMS ressalta que a vacinação continua em 90 postos aos moradores que não se imunizaram durante a etapa anterior.

Agentes de saúde têm percorrido os bairros para o trabalho de rescaldo, e os munícipes que se enquadram neste perfil recebem senha. A orientação aos moradores que ainda não receberam a visita dos agentes de saúde e precisam ser vacinados é procurar a unidade mais próxima de sua residência para retirar a senha de atendimento.

Para saber qual a Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência de seu endereço, basta consultar o Busca Saúde (buscasaude.prefeitura.sp.gov.br). Veja o passo a passo de como consultar:

1. Escolha fazer a busca por endereço e digite o seu endereço com número;

2. Clique na opção – Moro neste endereço;

3. Na caixa da direita, opção Exibir no mapa, não selecione nenhum item/filtro. Caso tenha algum item/filtro selecionado, retire-o.

4. Clique em Buscar

5. O mapa irá mostrar seu endereço e a unidade de referência. Na coluna da esquerda a unidade de referência sempre aparecerá com uma estrela amarela. Quando clicamos em cima da estrela amarela, aparecem os dados da unidade – nome, endereço, telefone e horário de funcionamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.