Rodas de conversa encerram programação do Hospital Materno Infantil na prevenção ao suicídio

Dando continuidade à programação do Setembro Amarelo – campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio -, o Hospital Estadual Materno Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), de Goiânia (GO), através da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) e Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt), promoveu na última sexta-feira (24), duas rodas de conversa sobre o assunto.

Voltadas para os colaboradores da unidade, no intuito de esclarecer e debater questões pertinentes à prevenção ao suicídio, as ações ocorreram em dois turnos: de manhã, com o psicólogo Danilo Vaz de Oliveira e à tarde, com a psicóloga Maria Bonfim Santos. Os palestrantes abordaram sobre o cuidado com a saúde mental; os transtornos mentais como esquizofrenia, bipolaridade, depressão e stress; os sinais que podem levar a pessoa a tirar sua própria vida; a importância da empatia  e sobre como ajudar e buscar apoio psicológico.

Segundo Danilo de Oliveira, falar do cuidado com a saúde mental é essencial. Em um vídeo compartilhado com os participantes, onde cada pessoa, em uma unidade de saúde vivenciava situações diferentes, como tristeza, preocupação, ansiedade, alívio, etc, ele deixou a pergunta: “qual sapato você calçaria?”, instigando a compreensão emocional. O psicólogo salientou que é preciso trabalhar a vida. “A melhor forma de prevenção é empatia e gratidão”, disse ele, que encerrou sua participação com a música ‘Te Desejo Vida’.

De acordo com a psicóloga Maria Bonfim, é necessário conscientizar a população quanto à prevenção do suicídio, quebrar mitos e tabus em relação ao problema e reforçar a orientação sobre como identificar atitudes suicidas. “É importante estarmos atentos ao próximo e aprender a ouvir para ajudar a salvar vidas”, pontuou.

Os participantes também receberam chocolates com recadinhos de incentivo. “Me senti valorizado e discutimos assuntos que me fez parar para refletir”, disse o colaborador Diego  Flores. “Essas abordagens são importantes para nós que trabalhamos na saúde. É preciso cuidar do cuidador para que ele possa continuar a cuidar e salvar vidas”, afirmou a servidora Maryane Rocha.

Para o presidente da Cipa, Júnior César Guimarães, é importante chamar atenção dos colaboradores para a saúde mental. “Nós, cipeiros, que buscamos harmonizar o trabalho e a prevenção da vida e saúde dos trabalhadores sabemos o quanto as emoções importam. Nada melhor do que uma roda de conversa para discutir e conscientizar sobre a sanidade mental”, avaliou Júnior.

Ainda como parte da programação do Setembro Amarelo, cartazes foram colocados nos corredores do hospital com frases de otimismo, apoio e valorização da vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.