SAMU 192 não deve ser acionado para dúvidas sobre o Covid-19

333

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou pandemia do novo coronavírus, no início de março, a rotina de atendimentos via 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Jundiaí, identificou aumento de 15% em ligações diárias relacionadas a dúvidas do Covid-19. O serviço recebe cerca de 2,3 mil ligações ao mês. A atitude da população tem impactado de forma negativa no serviço. “O foco de nossas atividades é atender situações como acidente de trânsito, infartos, quedas graves, afogamentos, partos e outras situações que continuam a ocorrer em paralelo ao coronavírus”, explica o médico coordenador do SAMU, Mário Jorge Kodama.

“Enquanto nossa equipe está atendendo um caso de dúvida, pode ter uma pessoa em situação grave aguardando”, diz. É importante que a população se conscientize dessa questão e utilize o número 136, que foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde para esclarecimentos de todos os tipos de dúvidas relacionadas ao Covid-19. Permitindo que o atendimento SAMU seja focado em situações que podem desencadear em óbitos ou perca de membros. “Pedimos que haja bom-senso também no momento de chamar o serviço de emergência por sintomas do Covid-19”, afirma.

O médico destaca que neste período do ano, são comuns os sintomas gripais devido à mudança de estação, que também inclui mudanças bruscas de temperatura. Desta forma, o recomendado para evitar o coronavírus e qualquer outra gripe ou resfriado, é manter os cuidados com a higiene pessoal, tais como lavar as mãos com frequência, usar álcool gel 70%, se estiver resfriado usar máscara para não contaminar as outras pessoas; não compartilhar objetos de uso pessoal e procurar sair de casa somente se necessário.

Deixe seu comentário