São Paulo imuniza 10,8 milhões e ultrapassa meta de vacinação contra a gripe

Levantamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, com base nos dados informados pelos municípios paulistas, mostra que SP ultrapassou a meta da campanha de vacinação contra a gripe de 2018. Até o momento, 10,8 milhões de pessoas já foram vacinadas, número superior à meta de 10,7 milhões, o que corresponde a 90% da população-alvo.

O dado contabiliza pessoas vacinadas desde o início da campanha, em 23 de abril, até a última semana de junho. Nesse período, foram aplicadas doses em cerca de 4,7 milhões de idosos, ou seja, pessoas com idade de 60 anos ou mais; 2 milhões de pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão; 1,4 milhão de crianças; 1 milhão de trabalhadores de saúde; 362 mil professores; 265 mil grávidas; 70,5 mil puérperas (mulheres que tiveram filhos em até 45 dias) e aproximadamente 6,3 mil indígenas.

Mesmo com a meta geral atingida, os grupos prioritários das crianças e gestantes ainda precisam incrementar a cobertura vacinal, que está em cerca de 65%. Ainda é preciso vacinar 846 mil crianças e 157 mil grávidas. Outros grupos, como idosos, puérperas, indígenas e professores já ultrapassaram a meta de 90% de vacinados.

Seguindo diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde, a vacinação segue disponível enquanto os municípios tiverem doses. A finalidade é que os grupos prioritários continuem se vacinando, ampliando a proteção da população contra a doença. Além disso, desde o dia 25 de junho os municípios também podem imunizar pessoas com idade de 50 a 59 anos e crianças de 5 a 9 anos, a depender da disponibilidade de doses.

“Mesmo com a meta gral atingida, pessoas pertencentes aos grupos prioritários que ainda não se imunizaram devem aproveitar a oportunidade para comparecer aos postos, principalmente crianças e grávidas. Para esses grupos, tomar a vacina é especialmente importante para evitar complicações futuras, como pneumonia e internações hospitalares”, afirma a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato. “A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, já que é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, explica.

Segundo recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacina de 2018 irá prevenir a população alvo contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B.

A vacina contra gripe é produzida pelo Instituto Butantan, unidade vinculada à Secretaria, que neste ano disponibilizou 60 milhões de doses ao Ministério da Saúde para a realização da campanha em todo o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.