Setembro Amarelo: instituições de saúde reforçam programas de saúde mental para colaboradores

Falar sobre saúde mental se faz cada vez mais necessário, considerando que o bem-estar da população tem sido diretamente afetado desde que a pandemia tomou o país. No ambiente de trabalho, em meio a tantas adaptações e novos cenários, o impacto emocional do momento atual se mostra ainda mais visível, com o aumento de transtornos mentais como ansiedade, depressão e Burnout – esgotamento físico e mental que ocorre em decorrência de situações estressoras no âmbito profissional.

Segundo pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos da Burocracia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), os trabalhadores da área da saúde estão entre os mais afetados no que diz respeito à saúde mental. O estudo ouviu 1.829 profissionais de diversos campos – médicos, enfermeiros, agentes de saúde comunitária, fisioterapeutas, entre outros – em todas as partes do Brasil e 80% deles relataram ter tido algum problema de saúde mental ao longo do último ano.

Com base no conhecimento desse cenário, algumas instituições de saúde passaram a incluir o tema de segurança psicológica não só de forma pontual, como em campanhas de Setembro Amarelo, mas também dentro do pacote de benefícios oferecidos aos colaboradores, no intuito de minimizar os impactos dessas repercussões psíquicas e manter os profissionais saudáveis. Abaixo, confira as ações implementadas por algumas dessas instituições.

Hcor

A fim de melhorar as condições sociais e de trabalho de suas equipes, oferecer assistência à saúde de alta qualidade e fortalecer um ambiente que estimule o autocuidado, prevenção e promoção da saúde, o Hcor – hospital multiespecialista em São Paulo – criou um Programa de Saúde Mental interno. Com ele, todos os profissionais da instituição podem ter acesso a consultas psicológicas oferecidas pelo hospital, inclusive por meio de teleatendimento, bem como intervenções terapêuticas em grupo entre colaboradores.

Outras propostas do Programa contemplam ainda: fluxo de retorno seguro ao trabalho, permitindo que o colaborador volte às atividades com as adaptações necessárias e com metas reduzidas; ampliação da rede referenciada para Psiquiatria e oferta em horário ampliado de canal telefônico de suporte a crises emocionais todos os dias da semana.

Para adotar esse modelo, a equipe de psicólogos e psiquiatras foi ampliada. Além de todo o tratamento ser iniciado e coordenado pelas equipes de Atenção Primária à Saúde do programa “Cuidar Hcor”, o projeto conta com a participação ativa de diferentes áreas, como a Gerência de Saúde Mental, Bem-Estar, Escritório de Valor, Qualidade, Filantropia e Gestão de Pessoas.

Atualmente, aproximadamente 400 profissionais de saúde são acompanhados pela equipe multidisciplinar do “Cuidar Hcor” e 44 pacientes iniciaram atendimentos na Psiquiatria, desde o momento no qual esse profissional foi integrado à equipe.

O calendário anual da instituição ainda prevê rodas de conversa, apresentações sobre outros temas voltados à saúde mental e dicas de atividades de autocuidado, tais como a prática de yoga, meditação e palestras sobre ansiedade e depressão.

Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem (FIDI)

A FIDI é responsável pela gestão do sistema de diagnóstico por imagem na rede pública e conta com 1.910 colaboradores e um corpo técnico formado por mais de 500 médicos que atuam em hospitais públicos de São Paulo e Goiás. Após realizar uma pesquisa de qualidade de vida com seus colaboradores, a instituição constatou que 89% se dizem estressados com alguma frequência, 84% eventualmente sentem sintomas depressivos e 42% são sedentários, ou seja, não praticam nenhuma atividade física.

Neste sentido, a FIDI sentiu a necessidade de agir e colaborar com a saúde mental da empresa que, coincidentemente, acredita-se estar diretamente ligada ao bem-estar físico. Assim surgiu o programa Bem-Estar FIDI, que abrange atendimentos psicológicos e emocionais para todos os colaboradores. Nele, a ideia é investir em ações que aprimorem a qualidade de vida dos funcionários, tanto no trabalho quanto na vida pessoal. O objetivo é trazer comodidade e facilidade, com proximidade e acolhimento, tornando a área uma aliada para atração, valorização e retenção de talentos.

Na primeira proposta, são oferecidas consultas pontuais de acolhimento, podendo vir a ser um acompanhamento recorrente, a depender do caso. Elas são realizadas por psicólogos organizacionais, ou seja, profissionais que aplicam conceitos da área no campo corporativo. A segunda proposta é voltada para o bem-estar físico e contempla atendimentos interativos, com plano nutricional, consultas de retorno e grupo em aplicativo de mensagens para compartilhamento de dicas e experiências.

Após a implementação do programa, a FIDI realizou uma segunda pesquisa para entender o quanto as propostas são satisfatórias para os colaboradores, apontando que 71,79% acreditam que a instituição se preocupa com a saúde dos funcionários. Além disso, 87,18% concordam totalmente que as consultas os ajudarão no dia a dia e 89,74% recomendariam o programa para outros colegas.

Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

Para ampliar o apoio e rede de atenção à saúde mental aos seus colaboradores, a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo adotou inúmeras iniciativas para atender essa nova demanda desencadeada pela pandemia. Além da implantação do programa educacional Diálogos da Saúde Mental, realizado com os psicólogos, lideranças e colaboradores do São Camilo, a rede também investiu em parcerias ampliaram a importância do tema para cada área do hospital.

Através dos programas e a parceria com o curso de psicologia do Centro Universitário São Camilo para ampliação de atendimento e estágios, foi possível expandir os meios para a busca de ajuda, deixando os colaboradores à vontade para acessar o time de suporte em caso de crises ou de uso/abuso de substâncias.

Entre outras ações praticadas pelo São Camilo, destaca-se o trabalho de triagem realizado pela equipe de psicólogos, que direcionam os casos para a equipe de medicina do trabalho e o pronto atendimento psiquiátrico dos colaboradores por equipe própria do Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT).

Além disso, o setor está em constante reformulação, no intuito de atender às necessidades dos colaboradores e oferecer o suporte necessário para ampliar o bem-estar e a qualidade de vida de todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.