Vídeo compartilha experiências de gestão em hospital sustentável

404

Energia elétrica e água estão entre as duas principais despesas em uma unidade de saúde. Reduzir o consumo, portanto, é um desafio para a gestão, considerando que hospitais funcionam 24 horas por dia e em ritmo intenso.

É neste universo que o conceito de hospitais sustentáveis tem ganhado força, mas poucas unidades conseguem colocar em prática ações efetivas de redução do impacto ambiental provocado pela ação do homem.

Em Mogi das Cruzes (SP), durante os cinco anos em que a Pró-Saúde esteve à frente da gestão do Hospital Municipal, a unidade alcançou resultados importantes ao utilizar todos os recursos estruturais — como cisterna, painéis solares vários dispositivos internos — para gastar menos com água e energia elétrica. Essa cultura sustentável também está presente na UNICAFISIO (Unidade Clínica de Fisioterapia e Reabilitação), que fica ao lado o Hospital Municipal e atende idosos com mais de 60 anos de idade.

Histórias como essas estão sendo apresentadas em uma série de vídeos institucionais editados pela Pró-Saúde que compartilha soluções em gestão hospitalar de vários perfis de unidades sob sua gestão — na Amazônia brasileira, um hospital oferece atendimento especializado para comunidade indígena; em Belém (PA), o relato do trabalho desenvolvido no único hospital público da região Norte para o atendimento oncológico infantil.

A série de vídeos terá, ainda, a experiência na gestão de maternidades, UPA 24h, SAMU (Serviço Móvel de Urgência), hospitais referências em traumas, transplantes, hemodiálise, queimados, unidade básica de saúde entre outros perfis.

Confira o vídeo do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes e da UNICAFISIO:

Veja os demais vídeos já divulgados: www.youtube.com/prosaudeoficial

Com mais de 1,6 milhão de atendimentos, Pró-Saúde encerra gestão

A Pró-Saúde, uma das maiores entidades filantrópicas do país, encerrou nesta terça-feira (25) a gestão do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes, após cinco anos de vigência de contrato firmado com o Município.

Em 2014, a entidade foi declarada vencedora em um chamamento público feito pela Prefeitura para gestão completa da unidade. Localizado na região metropolitana de São Paulo, o Hospital Municipal é uma das mais importantes unidades de saúde pública de Mogi. O trabalho desenvolvido pela Pró-Saúde assegurou ao hospital vários reconhecimentos importantes que o fez referência nacional em práticas sustentáveis e qualidade no atendimento ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em 2017, a unidade recebeu a certificação de qualidade Acreditado Pleno (ONA 2), concedida pela Organizacional Nacional de Acreditação (ONA), entidade sem-fins lucrativos que avalia os serviços de saúde no País. Foi o segundo reconhecimento concedido ao hospital pela ONA — em 2015, a unidade mogiana recebera a certificação Acreditado (ONA 1). As certificações da ONA estão entre as mais respeitadas do mercado de saúde no Brasil e são resultados de análises de mais de 4 mil processos e procedimentos internos promovidos no ambiente hospitalar.

Economia sustentável premiada

Outra marca da gestão realizada pela Pró-Saúde está diretamente ligada ao projeto arquitetônico do Hospital Municipal. A entidade utilizou e desenvolveu, com eficiência, todos os recursos de infraestrutura que visam a redução do impacto ambiental. Uma cisterna com capacidade para armazenar 41 mil litros reaproveitou água captada da chuva que foi utilizada nas descargas dos sanitários do hospital. Torneiras, chuveiros e descargas receberam dispositivos de redução de consumo, resultando em uma economia de 5,4 milhões de litros de água potável nos últimos anos.

Sessenta painéis solares instalados no teto do hospital contribuíram na economia de energia elétrica. Também se destacaram várias práticas realizadas pelos colaboradores que ajudaram na redução do consumo interno e melhor aproveitamento de produtos e materiais — especialmente de escritório — utilizados na manutenção diária do hospital.

Essa cultura sustentável foi reconhecida com o prêmio internacional 2020 Challenge Climate Champion Awards, pela participação na campanha Desafio 2020 — A Saúde pelo Clima, conquistado em 2016 e 2017. O Hospital já havia recebido, em 2015, o prêmio Amigo do Meio Ambiente, concedido pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

Esse conjunto de ações teve um impacto importante nos serviços médicos dedicados aos pacientes. Desde quando iniciou o atendimento ao público, em junho de 2014, o hospital realizou 947.535 atendimentos.

Entre os procedimentos realizados, estão exames laboratoriais, de anatomia patológica, radiologia, ultrassonografia, endoscopia, colonoscopia, tomografia, ecocardiograma e eletrocardiograma. No mesmo período, o Pronto Atendimento Infantil realizou 370.862 consultas de urgência.

Considerando todos os tipos de atendimentos, a unidade superou 1,6 milhão de procedimentos realizados durante o período de gestão da Pró-Saúde. Foram 18.432 internações e 7.238 cirurgias de baixa e média complexidades. As mais procuradas foram as de hérnia, vesícula e varizes. O hospital possui 69 leitos de internação para homens, mulheres e crianças.

Os números do Ambulatório também se destacaram. Nos cinco anos foram realizadas 221.677 consultas de Ginecologia, Cirurgia Geral, Otorrinolaringologia, Vascular, Urologia, Clínico Geral, Cardiologia e Anestesista.

A Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital registrou média superior a 90% de satisfação dos usuários, segundo levantamento do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU).

Humanização reconhecida

Desde 2016, a UTI do Hospital Municipal é reconhecida pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) por sua qualidade e desempenho entregues aos usuários. Trata-se de uma certificação que atende as resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que posicionou a UTI do hospital entre as de alta performance do Brasil. O setor possui 10 leitos adultos.

A Pró-Saúde também desenvolveu no Hospital Municipal uma série de práticas de humanização do atendimento. Realizadas em parceria com a Associação do Voluntariado de Mogi das Cruzes, as ações garantiram acolhimento para pacientes e acompanhantes.

Um dos projetos desenvolvidos foi a entrega do Certificado de Coragem aos pacientes — especialmente crianças — que passaram por cirurgia. Em outra atividade de humanização, foram utilizados carrinhos de brinquedos que transportavam as crianças até o Centro Cirúrgico.

Na UTI, foi desenvolvido o projeto de portas abertas, que permitiu a ampliação do horário de visitação — das 12h às 21h — para os pacientes internados.

Em junho de 2018, o Hospital Municipal implantou um protocolo para identificar casos suspeitos de violência contra a criança. Antes, a unidade já contava com uma instrução de trabalho, mas a nova medida garantiu atendimento aos pacientes em uma sala reservada para as crianças.

Em cinco anos de atividade, conduzidos pelo cumprimento das cláusulas contratuais, a gestão realizada pela Pró-Saúde buscou incorporar a missão e os valores que fazem parte da história da Instituição. Trata-se de um trabalho que foi amplamente reconhecido pela população local e pelo município. Hoje, o Hospital Municipal é um exemplo do atendimento público que dá certo.

Deixe seu comentário