Aprendizados e desafios enfrentados na pandemia são destaque na 5ª Jornada de Nutrição Hospitalar do SINDIHOSPA

Foto: Olga Ferreira

O setor de nutrição hospitalar foi indispensável para a força-tarefa que se formou no atendimento multidisciplinar de pacientes com Covid-19, nos últimos dois anos. O desafio de adaptar o trabalho à complexidade do atendimento e das restrições demandou soluções dos gestores e alavancou mudanças. Esses temas foram destaque nas falas dos especialistas na quinta edição da Jornada de Nutrição Hospitalar, realizada na sexta-feira (6), em Porto Alegre (RS).

O tradicional encontro do setor retornou à programação de eventos da saúde no formato presencial, no Instituto do Cérebro (Inscer). A atividade, promovida pelo Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA), reuniu especialistas nacionais na capital, ao longo de todo o dia.

O retorno da jornada foi celebrado pelo presidente do Sindicato, Henri Siegert Chazan. “O SINDIHOSPA se fortalece com esses momentos de estudo, de troca e de amizade. Me alegro em ver tantos estudantes e profissionais vivenciando um momento como este”, avaliou o executivo, que fez a abertura do encontro. A coordenadora do Comitê de Nutrição do Sindicato, Cláudia Villela, também destacou a importância do encontro: “estamos muito animados com tantos inscritos. Pensamos com carinho na variedade de assuntos abordados”, falou, ao dar início aos painéis.

Diretamente de São Paulo (SP), a Gerente de Nutrição do HCor, Juliana Simões, palestrou sobre a estrutura e o funcionamento da instituição durante a pandemia, destacando a visão humanizada sobre a gestão de pessoas. Os pontos foram corroborados pela coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética do Hospital Nossa Senhora da Conceição, Pâmela Reisswitz, e pela professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Vera Bosa, em painel sobre os desafios da nutrição no cenário atual.

“Os principais desafios que tivemos durante o período foram: verbas e insumos, o gerenciamento dos conflitos entre os colaboradores em decorrência da situação extrema, a gestão dessas pessoas, e a falta de pessoal”, destacou Pâmela. Atualmente, ainda há situações remanescentes da crise sanitária, como o desligamento dos funcionários temporários e alta dos insumos, sem falar na ausência de alguns gêneros alimentícios em razão da estiagem, por exemplo. O segmento teve a mediação de Luciane Carvalho, do Hospital São Lucas da PUCRS.

Manejo nutricional

Além do setor hospitalar, a nutricionista e especialista em pacientes críticos do Hospital de Clínicas, Marina Berbigier, destacou o trabalho na atenção primária das Unidades Básicas de Saúde, durante painel que abordou o manejo nutricional na Covid-19: “80% da população que se infectou com o Coronavírus passou pelas UBS — e ainda lidamos com uma grande parcela de pacientes com sintomas e sequelas remanescentes da doença”, relatou.

A especialista trouxe um cenário em que 52,2% das pessoas atendidas convivem com a insegurança alimentar, e outros 9% convivem com a fome no país. Por isso, destacou que os profissionais precisam saber identificar esse cenário, e não apenas focar na questão nutricional. A palestra teve também a participação da nutricionista Luciane Figueira, do Hospital Ernesto Dornelles, e mediação de Cláudia Villela.

Variedade de conteúdos

Para os interessados nos assuntos relacionados com a nutrição clínica, o evento contou com a palestra da nutricionista Marthina Walker, sobre o ‘Comer intuitivo — da infância à idade adulta comportamento alimentar’. A especialista falou sobre 10 diretrizes dessa vertente de atendimento, passando por entender a fome, identificar os sentimentos que levam ao comer por fundo emocional, e principalmente, a reconexão com as próprias sensações: “o objetivo é desenvolver a sabedoria corporal na percepção dos sinais físicos, respeitando a fome e a saciedade durante o processo”, explicou.

A programação se estendeu ao longo do dia, com uma ampla variedade de temas relacionados ao setor. Coordenadora nacional da Comissão de Nutrição da Associação Brasileira do Alzheimer (ABRAz), Inajara Soares falou sobre a terapia nutricional na longevidade. Na sequência, o Dr. Lucas de Azambuja Ramos, do Hospital São Lucas, palestrou a respeito dos cuidados paliativos e terminalidade. Já Renata Ramos, especialista da UNISINOS, enfatizou a tecnologia para a saúde.

A jornada prosseguiu com uma palestra da coach Kátia Magni sobre motivação e retenção de talentos, enquanto a nutricionista Carolina Andrioli falou sobre marketing e posicionamento nas redes sociais, diretamente de Portugal. Encerrando as atividades, o empresário Tiago Schmitz, do Charlie Brownie, liderou painel sobre empreendedorismo em nutrição, com a moderação da nutricionista Janete Haider.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.