Artigo – Coronavírus: prevenção sem pânico é a estratégia mais eficiente

2190

O Coronavírus chegou oficialmente ao Brasil. Diversas instituições já emitiram alertas e orientações tanto às equipes médicas quanto à população. É importantíssimo que todos nós estejamos alinhados e atentos às novidades a respeito da doença. Entretanto, é nosso dever não alimentar qualquer informação que possa causar sensação de pânico à população.

O Coronavírus tem causado uma doença respiratória chamada de COVID-2019, e tem chamado atenção desde os primeiros casos confirmados China. Ele faz parte de uma família de vírus que já causaram grandes impactos no mundo, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), em 2002, e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), em 2012.

Os principais sintomas são febre, tosse e dificuldade para respirar. Os profissionais de saúde devem estar atentos às variáveis que possam indicar suspeita da doença, como a associação dos sintomas à viagem recente a áreas de risco, onde há casos confirmados.

Segundo noticiários, máscaras de proteção já estão em falta em algumas farmácias pelo Brasil. Tal qual o consumidor que saiu às pressas para abastecer seu veículo diante da possível falta de gasolina em 2018, o medo de uma epidemia já o levou a se prevenir mais uma vez.

Porém, a prevenção mais eficiente, no momento atual do país, são cuidados simples e básicos. Por enquanto, as únicas pessoas com indicação para uso de máscaras são profissionais de saúde, cuidadores e indivíduos com sintomas de febre e tosse.

No geral, é importante: lavar as mãos com água e sabão sempre que possível e, quando não o for, higienizá-las com antisséptico à base de álcool 70%; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; manter distância de pessoa que esteja doente e; ao espirrar ou tossir, proteger a boca e o nariz com o cotovelo flexionado.

Em Minas Gerais, o Governo emitiu o Plano Estadual de Contingência Para Emergência em Saúde Pública para casos de infecção por Coronavírus. Documento que está disponível no site da Secretaria Estadual de Saúde, acessível a todos. Hospitais com capacidade para isolamento do paciente estão preparados para receber casos suspeitos da doença, como, por exemplo, o Hospital Eduardo de Menezes e o Hospital Infantil João Paulo II, ambos em Belo Horizonte.

Estamos diante de uma doença que tem assombrado o mundo inteiro. Mas a realidade brasileira mostra que, se houver prevenção da forma correta, é possível frear o seu desenvolvimento em nosso país. É preciso atenção e cuidado, mas sobretudo, consciência. O Coronavírus é uma realidade, entretanto, alimentar o medo e o pânico é uma estratégia completamente ineficiente.

Cláudia Navarro é Presidente do CRM-MG

Deixe seu comentário