Boas práticas garantem recertificação em distinção na prevenção de TEV

395

Em 13 de outubro, celebra-se o “Dia Mundial de Conscientização e Combate à Trombose”, uma iniciativa que tem como objetivo conscientizar a população sobre os fatores de risco da trombose venosa, reduzir o número de casos não diagnosticados, incrementar medidas para prevenção baseada em evidências e criar estratégias para garantir as melhores práticas de prevenção, diagnóstico e tratamento.

Tanto que, com um histórico de busca constante pela excelência e aprimoramento dos protocolos já existentes, o Hospital Santa Rosa, de Cuiabá (MT), acaba de conquistar pelo Instituto Qualisa de Gestão (IQG) a recertificação no Programa de Distinção na Prevenção de Tromboembolismo Venoso (TEV). A avaliação tem como propósito reconhecer as instituições com boas práticas hospitalares, bem como promover a segurança e a qualidade na assistência.

Conforme explica o supervisor de qualidade do Hospital Santa Rosa, Ediney Magalhães Junior, o processo avaliou diversos fatores e protocolos institucionais – como a profilaxia de TEV, uma série de ações para combater e prevenir a trombose em pacientes internados. “Analisaram os padrões de excelência alcançados, a implementação de protocolos e diretrizes da prática clínica, o compromisso com a inovação e o compromisso com a educação dos pacientes e familiares”, comenta.

A superintendente executiva do Hospital Santa Rosa, Mara Nasrala, complementa que a recertificação é, principalmente, o reconhecimento de que a instituição demonstra excelência na profilaxia antitrombótica. “Também é um reflexo do nosso compromisso com a inovação e com a educação voltada para pacientes e familiares. Em Mato Grosso, o Hospital Santa Rosa é pioneiro na busca por selos de qualidade e prioriza os melhores protocolos de atendimento”, ressalta.

PANORAMA – De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte evitáveis em todo mundo. Entre os problemas cardiovasculares que mais matam estão o ataque cardíaco, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e o Tromboembolismo Venoso (TEV) – que consiste na formação de um trombo (coágulo) dentro de uma veia, que bloqueia parcial ou totalmente o retorno da circulação para o coração no segmento afetado.

Segundo a Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (International Society on Thrombosis and Haemostasis), estima-se que aproximadamente 10 milhões de casos de TEV ocorrem anualmente. Vale destacar que existem duas condições frequentes de TEV, ambas resultam da coagulação imprevista do sangue – a Trombose Venosa Profunda (TVP), que em geral é assintomática, o que dificulta o diagnóstico; e o Tromboembolismo Pulmonar (TEP), sendo esta a causa de morte evitável mais comum no paciente hospitalizado.

Deixe seu comentário