Como fica a segurança do paciente em tempos de Covid-19?

Em 1° de abril é lembrado o Dia Nacional da Segurança do Paciente. O Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) foi lançado em 2013 pelo Ministério da Saúde com o objetivo de contribuir para a qualificação do cuidado. Partindo de protocolos básicos elaborados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), propõe um conjunto de medidas para prevenir e reduzir a ocorrência de incidentes nos serviços de saúde.

Para a OMS, a segurança é um dos seis atributos da qualidade, ao lado da efetividade, cuidado centrado no paciente, oportunidade, eficiência e equidade. Dessa forma, em parceria com a Joint Commission International (JCI), foram definidos seis protocolos básicos de segurança como metas internacionais:

  1. Identificação do paciente;
  2. Higiene das mãos;
  3. Segurança cirúrgica;
  4. Segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos;
  5. Prevenção de quedas dos pacientes;
  6. Prevenção de úlceras por pressão (UPP).

A escolha se justifica pelo pequeno investimento necessário frente à magnitude dos eventos adversos que podem ser evitados com sua implementação.

A disseminação mundial do novo Coronavírus trouxe à tona a importância de cuidados básicos e iniciativas voltadas à segurança do paciente em estabelecimentos de saúde. Também tem revelado ao mundo, e principalmente ao Brasil, a necessidade de investimentos na mudança de cultura organizacional para um ambiente mais seguro e de alta confiabilidade, mesmo diante de tantas dificuldades.

Na promoção do uso seguro de medicamentos, por exemplo, acrescentar uma etapa de conferência pode diminuir eventos adversos, apontando a falha antes que atinja o paciente. Ainda segundo o protocolo de prescrição segura, é preciso verificar todas as prescrições, não apenas as que contêm medicamentos perigosos. Itens como denominação do medicamento, dosagem e via de administração devem ser analisados em todas as prescrições.

Essas ações são desempenhadas pelo Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), responsável por monitorar, promover a prevenção e a diminuição do número de eventos adversos, apoiar a diretoria quanto às ações preventivas e educar a equipe de saúde, além de desenvolver a qualidade de atendimento ao paciente. Os NSP devem, antes de tudo, atuar como articuladores e incentivadores das demais instâncias do hospital que gerenciam riscos e ações de qualidade, promovendo complementaridade e sinergias neste âmbito.

Prevenindo erros de medicação

CL56 TI

É sabido que a discussão sobre segurança do paciente tem aumentado expressivamente devido a Covid-19, fazendo com que os hospitais procurem melhorar a qualidade da assistência com posturas preventivas. Em contrapartida, um assunto crescente nos noticiários é o esgotamento psicológico dos profissionais da saúde, que com a pandemia estão cada vez mais sobrecarregados e sob pressão, abrindo uma perigosa lacuna para erros assistenciais devido ao estresse extremo e a superlotação das unidades de saúde.

Foi pensando em facilitar o dia a dia desses profissionais que a Health Móveis criou uma linha de carros beira leito para prontuário eletrônico, que permite o preparo da medicação ao lado do paciente e auxilia a equipe assistencial na organização das necessidades individuais de forma personalizada. Tudo é registrado imediatamente no sistema do hospital, contribuindo para a segurança do paciente e do corpo clínico.

CL56 TI HÍBRIDO

São diversas versões com gavetas para armazenamento das medicações de acordo com as prescrições médicas. Cada gaveta corresponde a um paciente, tornando o processo ainda mais confiável e assertivo. A baixa da medicação é informada imediatamente ao sistema do hospital por meio de um leitor ótico conectado a um notebook*, fixado em suporte personalizado e com travas antifurto.

Desenvolvido para prevenir danos evitáveis, permite que, antes do preparo, seja verificado por meio de um leitor de código de barras se as medicações estão de acordo com a prescrição médica. As doses também são checadas automaticamente, evitando erros de medicação. Dessa forma, a administração dos medicamentos e as anotações da equipe de enfermagem feitas à beira leito no prontuário eletrônico pelo notebook fixado no carro são de extrema importância para o processo.

LT 56 TI ELEVAÇÃO e LT 56 TI, respectivamente

Como os carrinhos da Health Móveis podem ser configurados de acordo com as necessidades de cada cliente, é possível ainda instalar acessórios, como suporte para perfuro cortante, suporte de soro, lixeira, suporte almotolia, suporte descansa mouse, suporte para leitor ótico, entre outros.

Disponível nos modelos CL56 TI, CL56 TI HIB, LT56 TI, LT56 TI Esp. e LT56 TI elevação, o carro beira leito é um item indispensável, não apenas para o trabalho das enfermarias, mas também para o processo de administração de medicamentos, podendo ser utilizado em qualquer setor do hospital onde essa tarefa seja realizada.

* Notebook não incluso

Tel: (11) 3645-2226

E-mail: comercial2@healthmoveis.com.br

Site: healthmoveis.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.