Hospital Santa Cruz inaugura nova UTI Neonatal com 40% mais leitos

263

No mês de conscientização sobre a prematuridade, o Hospital Santa Cruz, de Curitiba (PR), inaugura sua nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal. Com 40% mais leitos, a instituição investe em mais segurança assistencial e no reforço do atendimento humanizado aos bebês e seus familiares. A visita técnica de reinauguração ocorre nesta quinta-feira (21), a partir das 18h30, e é aberta a profissionais de saúde da capital e região.

“Passamos a operar com 14 leitos neonatais, quatro a mais do que o oferecido até então. Somados à nossa capacidade de internamento na UTI Geral, que garante segurança também às gestantes, conseguiremos prestar um serviço com ainda mais excelência e atender ainda melhor, tanto a mãe quanto o bebê que precise de cuidados intensivos”, explica o gerente médico do Hospital Santa Cruz, Dr. Rafael Moraes, que ressalta a importância da escolha de uma maternidade que ofereça suporte de UTI adulta e neonatal. “Porque mesmo em casos de parto normal, podem ocorrer complicações”, completa.

Segundo o neonatologista e coordenador da unidade, Dr. Ênio Torricillas, a ampliação da capacidade vai gerar melhorias no atendimento a todas as gestantes, em especial às que apresentam alto risco, e também aos pais dos pacientes prematuros. “Os familiares terão mais conforto e tranquilidade para se dedicar à evolução dos bebês, pois terão certeza que contam com uma equipe extremamente capacitada, atuando em um ambiente muito mais moderno, seguro e acolhedor”, pontua.

Cuidado integral

A nova UTI Neonatal fortalece o compromisso do Hospital Santa Cruz com o bem-estar e o cuidado integral ao público feminino. Desde agosto, além dos serviços de urgência e emergência, a instituição oferece atendimento ambulatorial de baixa à alta complexidade em ginecologia e obstetrícia por meio do Centro de Especialidades em Saúde da Mulher.

“Com a ampliação de leitos neonatais, reforçamos também a segurança da equipe multidisciplinar, que sabe que pode contar com uma estrutura moderna e as melhores práticas assistenciais, o que influencia também o controle dos índices de infecção e mortalidade”, completa a coordenadora de enfermagem da UTI Neonatal, Paula Mara Bordim Lopes.

Deixe seu comentário