Potencial tratamento para melhorar cognição de pessoas com síndrome de Down é tema de webinar

O periódico The Lancet Neurology, revista médica número um do mundo na área de neurologia, publicou uma pesquisa em janeiro, financiada pela Alana Foundation, que mostra que a utilização de memantina, medicamento recomendado para o tratamento de indivíduos com Alzheimer, pode ser uma opção futura de tratamento para pessoas com T21. No mundo ainda não existem muitas pesquisas sobre a Trissomia 21 (T21) e, sem esses estudos, a descoberta de novos tratamentos, medicamentos e abordagens pedagógicas para as pessoas com T21 se torna improvável.

Diante da importância de falar sobre as formas de tratamento que beneficiem as pessoas com essa condição genética, a Alana Foundation, em parceria com a Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down (FBASD), realiza o webinar “Estudo da Memantina na Trissomia 21 – Resultados e implicações futuras”, no dia 29 de abril, às 20h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo no canal do YouTube da FBASD.

Laís Fleury, diretora da Alana Foundation, ressalta que esse estudo abre portas para um debate ainda maior sobre tratamentos que promovam a saúde da pessoa com T21 e que parte dos testes de avaliação cognitiva aplicados no estudo são inéditos no Brasil, mas seguem parâmetros já utilizados em outros países. “Acreditamos que a participação crescente de pessoas com T21 na sociedade traz benefícios para todos nós. Queremos, com essa pesquisa, trazer mais ferramentas para que essas pessoas possam ampliar a sua atuação e protagonismo nas escolas, mercado de trabalho e sociedade como um todo”, avalia.

Apesar de não ter demonstrado a eficácia esperada no desempenho cognitivo dos participantes, a pesquisa levantou a possibilidade de que pessoas com T21 podem metabolizar medicamentos, como a memantina, de uma forma não usual. O estudo ainda levanta a hipótese de que tratamentos com dosagens maiores possam beneficiar as pessoas com T21. Essa descoberta abre espaço para novos debates sobre tratamentos capazes de melhorar os déficits cognitivos associados à T21.

Ainda serão necessários novos estudos para que a equipe responsável pelo estudo possa avaliar se essa hipótese se confirma, pois assim será possível ter certeza de que a memantina pode melhorar as funções cognitivas e ter impacto na qualidade de vida das pessoas com Trissomia 21. A pesquisa foi financiada pela Alana Foundation, com apoio da Awakening Angels Foundation (EUA), em parceria com instituições dos Estados Unidos e do Brasil.

Participam do webinar o Dr. Alberto Costa, neurocientista e diretor de Pesquisas Clínicas da associação internacional para pesquisa em T21 – Trisomy 21 Research Society (T21RS) e a Dra. Ana Claudia Brandão, pediatra do Centro de Especialidades Pediátricas do Hospital Israelita Albert Einstein, com atuação voltada para crianças e adolescentes com T21. Ambos lideraram a pesquisa nos Estados Unidos e no Brasil, respectivamente. A mediação será feita por Alex Duarte, graduado em Comunicação Social, pós-graduado em Neurociências, especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional, e Fernanda Machado, designer gráfica com síndrome de Down que participou da Expedição 21 – Primeira Imersão de Empoderamento para pessoas com deficiência intelectual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.