Projeto EMBRAPII vai aperfeiçoar treinamento médico para doenças do coração

290

Pesquisadores baianos desenvolveram um equipamento capaz de simular doenças cardíacas com o objetivo de aperfeiçoar o treinamento de profissionais e estudantes da área médica. A iniciativa é uma parceria entre EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), Instituto Federal da Bahia (IFBA) e a empresa Algetec. A inovação promete simular situações de risco mais próximas à realidade, um caso de infarto, por exemplo.

O equipamento tem o formato de um tórax com cabeça e possui estrutura mecânica e eletrônica adequada à captação de sinais elétricos de eletrocardiograma. Ele usa monitores cardíacos reais e possui um aplicativo por onde o professor pode programar situações que necessitem de ações terapêuticas, enquanto acompanha a evolução do quadro clínico, de acordo com o tratamento adotado. O aparelho suporta manobras clínicas como compreensão torácica (massagem cardíaca), descarga elétrica de desfibrilação e reproduz sons característicos dos batimentos do coração, tanto em situação normal quanto patológica.

De acordo com os pesquisadores da Unidade EMBRAPII – IFBA, estudos apontam que os modelos existentes no mercado atualmente apresentam inconvenientes ao treinamento em eletrocardiologia. “A parceria com a EMBRAPII foi importante, pois viabilizou o projeto e contribuiu para que o desenvolvimento tecnológico inovador pudesse ser disseminado entre profissionais e alunos, além de agregar valor ao produto, podendo alavancar a economia nesta área”, afirma o professor Josemir Alexandrino, coordenador do projeto do IFBA.

O professor explica ainda que o principal benefício da proposta é disseminar a tecnologia nas faculdades de medicina, em cursos da área e nas instituições de saúde, já que atualmente, simuladores com esse nível de tecnologia são importados e de elevado custo.

Deixe seu comentário