Visto EB-5 ganha a atenção da classe médica

18538

Estimulados por um cenário político e econômico repleto de incertezas, muitos profissionais têm abandonado seus empregos e carreiras para começar uma vida totalmente do zero nos Estados Unidos. Muitos, inclusive, possuem uma condição financeira favorável. De acordo com o site da Receita Federal, só no ano de 2016 foram mais de 18 mil que deixaram o solo brasileiro de forma definitiva.

E dentro deste panorama estão os médicos, das mais diversas especialidades. A maioria possui condição financeira favorável e não necessitaria deixar o Brasil, mas quer aliar seus ganhos à qualidade de vida, segurança e um futuro com menos incertezas em um país que ofereça condições favoráveis para que seus consultórios possam prosperar.

Esses profissionais solicitam a moradia legal tanto para eles como para seus filhos e cônjuges, através do EB-5. Conhecido como visto de investidor, o programa permite a empreendedores estrangeiros moradia e residência permanentes e legais nos Estados Unidos.

A lei que determina o aumento do EB-5 foi aprovada no congresso, e está em fase de ajustes. Em setembro de 2018, o valor passará a ser de 920 mil dólares não mais 500 mil. Esse também é um dos motivos pelo aumento da procura, todos querem aproveitar o valor atual.

De acordo com Daniel Toledo, advogado especialista em direito de imigração, consultor de novos negócios, investimento e diretor da Loyalty consultoria, não é possível investir em qualquer lugar. O montante aplicado deve atender a critérios legais muito restritos e destinados a projetos previamente aprovados pelo governo e ainda, gerar empregos, fomentar o crescimento e o desenvolvimento. “Os pólos confiáveis são aqueles que apresentam uma série de documentos como laudos e avaliações assinados por profissionais habilitados e histórico de entrega de obras, e que permitem também uma auditoria. Caso um acompanhamento detalhado não seja realizado, o investidor poderá ter problemas futuros, inclusive comprometer a solicitação de visto”, explica.

Outro fator que tem influenciado na decisão destes profissionais é a alta remuneração da classe médica americana. Mas, para exercê-la, é preciso validar o diploma para obter a licença que vai permitir atender aos pacientes. Esta etapa é necessária, mesmo conquistando a cidadania.

Daniel explica que uma das áreas que mais fazem sucesso nos Estados Unidos é a da cirurgia plástica, porém, vale lembra que há uma grande fiscalização sobre a atuação desses médicos. “Para evitar qualquer tipo de problema enquanto não obtém a permissão exigida, muitos passam a atuar na área da cosmetologia, mas sem prescrição de medicamentos, somente procedimentos estéticos”, aponta o advogado.

Mas ainda sim, esses médicos brasileiros ganham mais se comparado a sua especialidade no Brasil. “A economia brasileira estrangula o empresário com impostos abusivos que o impedem de crescer no ritmo que ele esperava”, avalia Toledo.

Não deu certo o EB-5? Tente o EB-1

Entre as solicitações para os vistos permanentes em solo americano, as modalidades EB-1 e EB-2 são as que se referem a profissionais com longa experiência em suas áreas de conhecimento e que, além da habilitação e experiência comprovadas, possuam também um histórico de contribuições e reconhecimentos no decorrer de sua carreira.

Médicos que deram grandes contribuições para a sociedade podem se encaixar nesta modalidade. “O profissional precisa ter artigos publicados em revistas científicas e ter várias especializações, mestrado e doutorado, além de um reconhecimento na área de atuação, pesquisa, ou desenvolver uma técnica inovadora, com reconhecimento internacional”, explica Daniel.

Solicitar o EB1 é muito mais acessível que o EB-5 e demais vistos, porque o custo fica em torno de 25 mil dólares. Já o EB-2 é a petição em que se enquadram profissionais dos mais diferentes setores, mas que tenham mais de 10 anos de experiência comprovada e também devem atestar que seus trabalhos podem colaborar com a economia, cultura ou educação nos EUA.

Para qualquer uma dessas categorias, reunir antecipadamente documentos que certifiquem as qualificações é essencial. Ser membro de associações, participar ativamente do setor em que atua e até mesmo prêmios aumentam a elegibilidade para o visto.

Deixe seu comentário