Palhaços inovam na pandemia e realizam visitas a hospital com ajuda de robô

48

Desafiados a manter seu trabalho de palhaçaria para humanização de ambientes e pessoas, a Associação Nariz Solidário, que atua voluntariamente em hospitais de Curitiba (PR) e região, encontrou na tecnologia uma aliada para mitigar os impactos negativos causados pelo Covid-19.

Uma vez que grande parte das atividades presenciais foram suspensas, associação vem encontrando no mundo virtual novas possibilidades de atuação. Em julho, a ONG retomou parcialmente suas intervenções com a ajuda de um robô desenvolvido pela Startup HumanRobotics, em parceria com o Hospital Universitário Cajuru. A tecnologia desenvolvida com funcionalidade de telepresença, permite conectar uma dupla de palhaços com pacientes e profissionais da saúde. Todas as segundas e sextas-feiras pela manhã, a equipe, auxiliada por um profissional do hospital Cajuru – parceiro de longa data da ONG-, prepara seu figurino e realiza seus encontros de forma online e ao vivo com o robô/palhaço.

Essa é a mais nova forma encontrada pelo Nariz Solidário para seguir compartilhando conhecimento, alegria, empatia e leveza por meio do ambiente virtual. Desde março, o grupo mantém uma agenda de lives via redes sociais com debates sobre a palhaçaria, voluntariado e ambientes hospitalar. Também investiu na criação de cursos online e segue suas capacitações por meio de grupos de estudos de abrangência nacional e mundial.

“Entendo que não há barreiras quando pensamos em arte somada à inovação social para o bem estar de todos. Nesse caso, queremos chegar até as pessoas que estão hospitalizadas e quem está trabalhando nesses ambientes em todas as frentes. Para nós, que atuamos voluntariamente buscando compreender a técnica da palhaçaria nesse contexto, acredito que conseguimos chegar a um formato adequado após uma escuta prévia e debates para definir a melhor forma de manter as intervenções nesse cenário. Tem sido uma experiência importante. Antes das visitas e posteriormente refletimos coletivamente o que deu certo e o que pode melhorar na ação, assim conseguimos construir, passo a passo, um ambiente mais acolhedor nesse momento tão difícil”, conta Eduardo Roosevelt, diretor da associação.

Nariz Solidário

A partir da arte do palhaço, o Nariz Solidário se propõe a ser agente de transformação e humanização de pessoas e ambientes que necessitam de escuta, atenção, cuidados e de empatia. Tendo como sua principal referência os hospitais e ambientes de atenção à saúde de Curitiba e região, antes do CONVID-19 mantinha visitas semanais a três hospitais da rede pública, dentre eles o Hospital Universitário Cajuru e o Hospital Infantil de Campo Largo.

Como organização de impacto social, o Nariz Solidário mantém treinamentos constantes de voluntariado, além de uma articulação ativa da rede de palhaçaria no Brasil– práticas pelas quais foi premiado e reconhecido pelo Programa Impulso 2019. Os voluntários palhaços também conduzem intervenções artísticas em diferentes espaços, públicos e privados, além de oficinas, palestras e rodas de conversas.

Entre 2015 e 2020, cerca de 40.000 mil pessoas foram impactadas pelo trabalho do Nariz Solidário. Foram mais de 450 ações e mais de 2000 horas de atuação em diferentes espaços, sendo 9 instituições de saúde atendidas e 90 voluntários (com 40 ativos atualmente). O grupo também está envolvido no mapeamento das iniciativas de palhaço em hospitais na região e redes por todo o país.

Para apoiar e saber mais sobre o trabalho do grupo, acompanhe os canais oficiais!

Apoie essa causa: benfeitoria.com/narizsolidario / www.narizsolidario.org/apoie

Site: www.narizsolidario.org

Facebook e Instagram: @narizsolidario

Telefone: (41) 99677-8713 (apenas WhatsApp)

E-mail: narizsoliodario@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

seis + 15 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.